Cultura no Ponto

Roda Potiguar de Forró se reinventa e lança web série em 2020

Fotos: Laine Paiva

Roda Potiguar de Forró se reinventa e lança web série em 2020

Em 2019, a Roda Potiguar de Forró teve casa cheia no Teatro Riachuelo, sendo inclusive indicada ao Prêmio Hangar de Música na categoria melhor show do ano. Em 2020, o projeto teve que se adaptar devido à realidade imposta pela pandemia de Covid-19. Mas para fugir do formato live, a ideia foi transformar o produto musical diferenciado e gratuito em uma websérie, que estreia hoje (24), no YouTube, com direção e roteiro de Carito Cavalcanti e Praieira Filmes.

O forró é considerado um dos mais legítimos estilos musicais do país. E foi com o intuito de contribuir para a preservação da música potiguar e manter viva a memória e identidade desse ritmo que surgiu a Roda.

Produzido pela cantora Tanda Macedo, que desde 2015 promove o forró potiguar no cenário musical do estado, o projeto vai contar com quatro episódios, que serão lançados dias 24, 25, 26 e 27 de novembro, às 19h, no canal youtube.com/tandamacedo.

Os três primeiros episódios serão em formato bate-papo. Numa conversa informal, Tanda recebe os músicos Carol Benigno, Khrystal, Jubileu Filho, Zé Hilton, além do dramaturgo e ator César Tenório, para falar do sentimento “Forró”; histórias do ritmo e também sobre o forró potiguar.

O último capítulo será um pocket show com a Roda Potiguar de Forró. Entre os convidados para esse momento, estão os músicos Waldonys, Lucas Dan e Vinícius Lins.

A direção musical é de Jubileu Filho, que também integra a banda base ao lado de Zé Hilton do Acordeon, Lipe Guedes, Erick Firmino, Darlan Marley, Ninho Brasil e Albanete.

O projeto é patrocinado pela Prefeitura Municipal do Natal, Programa Djalma Maranhão, Unimed Natal e Sebrae RN.

 

TEASER: https://youtu.be/13gMbqrabds

CONVITE: https://youtu.be/z0CwYOkMa-o

 

Campanha Solidária do Som Sem Plugs beneficia projetos de Natal e Mossoró

Campanha Solidária do Som Sem Plugs beneficia projetos de Natal e Mossoró

A campanha solidária do Som Sem Plugs – SSP, fase atual da ação “Narrativas Musicais”, segue trilhando caminhos em busca dos agentes transformadores do Rio Grande do Norte. A ideia é ajudar instituições sociais de Natal e Mossoró que atuam com o ensino da música para crianças e adolescentes do Estado. Os projetos beneficiados pela campanha são: Ilha de Música e Conexão Felipe Camarão, de Natal e, Projeto Esperança, de Mossoró.

Mas, para que seja possível alcançar o objetivo da campanha, que é levar alegria e esperança, o Som sem Plugs conta com a ajuda da população. Podem ser doados alimentos não perecíveis, EPI´s, álcool gel e produtos de higiene. Os pontos de arrecadação são as sedes dos próprios projetos: Ilha de Música e Conexão Felipe Camarão (Natal) e Projeto Esperança (Mossoró).

Para conhecer de perto e ter informações como endereço e/ou telefone, é só acessar o perfil das instituições ou confirir as publicações do @somsemplugs sobre cada um, e assim ficar por dentro do importante papel que eles desempenham na vida de tantas crianças e jovens e, suas respectivas comunidades. 

Ilha de Música: @ilhademusica
Conexão Felipe Camarão: @conexaofelipecamaraooficial
Projeto Esperança: @projetoesperanca_ / @uernacao

Apresentada por Oi, Cosern e Instituto Neoenergia, a temporada 2020 do Som Sem Plugs tem o patrocínio do Governo do Rio Grande do Norte, através da Fundação José Augusto via Lei Câmara Cascudo e apoio cultural do Oi Futuro. Conta ainda com o apoio da Camaleão Studio, G7 Comunicação, Original Marketing & Eventos, Studio Jota Marciano, Casa Nacre e realização Betapro Foto e Vídeo. Narrativas Musicais – ação sociocultural tem apoio da InterTV e Sesc RN.

Mais informações pelo site www.somsemplugs.com.br ou rede social @somsemplugs. 

Ótima notícia: Som da Mata e Bosque Encena voltam no próximo dia 22

Fotos: Tiago Lima

Ótima notícia: Som da Mata e Bosque Encena voltam no próximo dia 22

O Som da Mata vai voltar. É isso mesmo! A partir do próximo dia 22 de novembro, às 16h, os finais de tarde de domingo no Parque das Dunas terão de volta a energia e o alto astral da música instrumental potiguar.

Para um retorno seguro, serão tomadas medidas preventivas baseadas no protocolo de biossegurança como distanciamento social, uso obrigatório de máscara, utilização de álcool 70% e aferição de temperatura corporal.

A reestreia será com Fuxico de Feira, banda tem no repertório músicas do cancioneiro popular e de compositores consagrados.

Na data também será celebrado o aniversário do Parque das Dunas.

Bosque Encena

Outro projeto também retorna ao anfiteatro do Parque das Dunas, o Bosque Encena, que traz programação para as crianças nas manhãs de domingo, a partir das 10h.

A volta será com o grupo Estação de Teatro. O espetáculo será o Estação de Contos, com as atrizes Nara Kelly, Ananda Khrisna e Manu Azevedo. A peça conta com a contação de histórias intercaladas com músicas e brincadeiras populares.

1º Passeio Ciclístico Histórico do Natal será realizado dia 12 de dezembro

A Caminhada Histórica do Natal já se tornou um evento anual importante para a capital potiguar. Este ano, ela apresenta uma novidade: o 1º Passeio Ciclístico Histórico do Natal. A Viva Entretenimento e a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer do Natal unem cultura, lazer, esporte e turismo em mais esse projeto, que promete ser uma verdadeira aula de história e está marcado para o dia 12 de dezembro, às 8h. Nada melhor que encerrar o ano com uma atividade lúdica e saudável.

A ideia se constitui como um espaço de estímulo ao uso da bicicleta, como modal de deslocamento urbano e de acesso à cidade, utilizando-a também como equipamento de lazer, de caráter popular e com vistas a superar e/ou minimizar os problemas cotidianos que enfrentamos pela conjuntura socioeconômica atual. “2020 foi um ano difícil para todos, e sabemos como a atividade física é positiva para ajudar em aspectos emocionais e psicológicos também. Essa foi uma das nossas motivações ao inserir o passeio ciclístico na programação da Caminhada Histórica deste ano e incentivar essa prática”, explica Jarbas Filho, diretor da Viva.

A largada será do mesmo ponto da Caminhada, indo mais longe do que o habitual trajeto. O passeio é gratuito e aberto a toda população e inclui água e acompanhamento para primeiros socorros. Os interessados devem aguardar a abertura das inscrições e garantir sua própria bicicleta, pois não haverá aluguel no local. O evento conta com o patrocínio da Unimed Natal.

Caravana REC promove oficinas de audiovisual no estado em novembro e dezembro

Caravana REC promove oficinas de audiovisual no estado em novembro e dezembro

Caravana REC é um projeto itinerante que busca promover a formação técnica, a qualificação profissional e a produção e difusão audiovisual no estado do Rio Grande do Norte. O projeto percorrerá as cidades de Mossoró, Currais Novos, Goianinha e Natal nos meses de novembro e dezembro, tendo como público-alvo jovens de 13 a 19 anos, estudantes e moradores das zonas menos favorecidas dessas cidades.

Com foco no fortalecimento da cadeia produtiva do cinema e do audiovisual independente - seguindo todas os protocolos de segurança, de acordo com os decretos vigentes, e prezando pela segurança para todos os participantes envolvidos -  serão realizadas ações como: oficina de documentário, mostra de curtas potiguares realizados nos últimos dois anos, e a distribuição dos documentários produzidos como resultado das oficinas. As oficinas terão 25 horas de duração, entre aulas expositivas e práticas, tendo como produto final um curta-metragem produzido pelos jovens participantes. Como resultado final os filmes serão exibidos no canal oficial do projeto no YouTube, como também em exibição pública em cada cidade participante.

A Caravana REC objetiva o estímulo à reflexão e o compartilhamento de saberes e experiências. Carito destacou a importância dessa troca: “Como somos realizadores em constante atividade, também vamos mostrar nossos filmes e compartilhar com eles nosso processo criativo e estratégias de trabalho, dentro de uma linguagem poética que caracteriza nossa produção e se desenvolve como um diferencial.”

Outro ponto de destaque será a exibição de curtas-metragens potiguares em uma mostra itinerante por todas as cidades participantes. Os filmes foram selecionados via edital e se inscreveram curtas de realizadores potiguares, rodados no estado do RN, com duração máxima de 20 minutos (incluindo os créditos) e finalizados a partir de janeiro de 2019. O resultado da seleção de cinco curtas será divulgado no dia 2 de novembro.

 

CARAVANA REC

- Mossoró: 9 a 14 de novembro

- Currais Novos: 23 a 28 de novembro

- Goianinha: 7 a 12 de dezembro

- Natal: 14 a 18 de dezembro

Realização: Pinote Produções

Governo do RN garante apoio à criação do primeiro museu indígena do RN

Fotos: Robson Araújo

Governo do RN garante apoio à criação do primeiro museu indígena do RN

Governadora recebeu lideranças indígenas e aprovou a parceria para instalação da instituição em Apodi

 

O Governo do Estado vai apoiar a criação do primeiro museu de história indígena do Rio Grande do Norte. A medida foi discutida em reunião realizada na tarde desta quinta-feira (27) entre a equipe da gestão estadual, encabeçada pela governadora Fátima Bezerra, e lideranças de comunidades indígenas do RN. Na ocasião, Fátima atendeu à solicitação da cacique Lúcia Paiacu Tabajara, que apresentou a demanda através de uma carta lida por sua neta Gabriela Paiva, e oficializou o apoio à criação do Museu do Índio Luíza Cantofa, em Apodi.


"O momento que estamos vivendo aqui reflete a política do Governo do Estado de reconhecimento e valorização da população indígena do Rio Grande do Norte, em atenção à legítima luta de vocês, travada ao longo dos séculos com muita resistência e bravura. Através desse encontro, que é o segundo que realizamos desde que assumimos esta gestão, reafirmo nosso compromisso em atender às justas reivindicações da população indígena potiguar", declarou a governadora.

A comunidade indígena de Apodi requisita a doação do prédio, de propriedade do Governo do Estado, localizado numa das margens da Lagoa do Apodi, em local conhecido como balneário Missão 1. O prédio foi ocupado há dois anos pela Associação Indígena Centro Histórico Cultural Tapuias Paiacus para instalação da sede da entidade e do Museu do Índio Luíza Cantofa.

Conhecida como Casa das Máquinas, a edificação foi levantada há três décadas, mas nunca funcionou.
"Construímos esta carta para solicitar que o prédio que está sendo ocupado na nossa aldeia seja doado, para que a gente possa garantir que a história dos indígenas, que não deixaram de existir, mas foram silenciados, se perpetue a todas as gerações", disse a cacique Lúcia, que há anos atua como guardiã da história de seu povo.

APOIO

Dando continuidade à política de igualdade racial implementada pelo Governo do Estado, estão sendo assistidas todas as 15 comunidades indígenas do RN com cestas básicas, máscaras e álcool em gel.  Na reunião, a governadora Fátima Bezerra fez a entrega simbólica de cestas de alimentos e dos itens de proteção, em mais um desdobramento do programa RN Chega Junto, criado para fortalecer a rede de assistência às pessoas que tiveram a situação econômica durante a pandemia do novo coronavírus.

Durante a solenidade, as lideranças presentes foram convidadas a tecer suas considerações. Todas elas reconheceram o empenho da gestão estadual pela abertura em ouvir e atender às reivindicações da população indígena do Estado, desde a implantação da Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude Social, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (Semjidh), até a entrega de alimentos e insumos no combate ao coronavírus, como também a inclusão da pauta indígena em um edital na Lei Aldir Blanc - Lei Federal de Emergencial Cultural, que está sob a gestão da Fundação José Augusto (FJA).

E por último, o apoio declarado à criação do primeiro museu indígena do Rio Grande do Norte, cujo apoio foi iniciado através de uma articulação feita com o controlador-geral Pedro Lopes, que conheceu a comunidade numa das entregas de cestas do RN Chega Junto.

Os indígenas também apresentaram as suas demandas, as suas dificuldades, as quais foram respondidas pelos gestores presentes a fim de que o Estado encontre os caminhos para solucionar. "Nós sabemos que as solicitações que vocês fizeram estão sendo atendidas pelas Secretarias de governo. Vamos nos unir e vamos em frente para poder atendê-los", destacou Eveline Guerra, titular da Semjidh.

RN CHEGA JUNTO

Até o final do ano, estão sendo entregues três mil cestas de alimentos compostas por itens da agricultura familiar, além de nove mil máscaras e 840 litros de álcool em gel às comunidades indígenas mapeadas pela Semjidh. A gestão do Programa RN Chega Junto está sendo feita pela Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), com apoio da Controladoria Geral do Estado, que também gerencia o programa RN + Protegido, para distribuição de máscaras. 

A população indígena do Rio Grande do Norte, de acordo com mapeamento feito pela Semjidh, tem cerca de 1.600 famílias cadastradas, totalizando mais de 6 mil pessoas.

Ao todo, são 15 comunidades: Sagi Trabanda e Jacu (Aldeia Potiguara/Baía Formosa); Catu (Potiguara/Canguaretama e Goianinha); Tapará (Tapuia/Macaíba e São Gonçalo do Amarante); Ladeira Grande (Tapuia/Macaiba e São Gonçalo); Lagoa do Mato (Tapuia/Macaiba); Mendonça de Natal (Potiguara/Natal-Zona Norte); Cachoeira (potiguara/Jardim de Angicos); Assentamento Santa Terezinha (Potiguara/João Câmara); Amarelão (Potiguara/João Câmara); Serrote de São Bento (Potiguara/João Câmara); Açucena (Potiguara/João Câmara), Assentamento Marajó (Potiguara/Assu); Caboclos Potiguara/Assu) e Apodi (Tapuia Paiacu/Apodi).

Participaram da solenidade o controlador-geral Pedro Lopes; as secretárias Eveline Guerra (Semjidh) e Íris Oliveira (Sethas), o secretário da Educação, Getúlio Marques e a adjunta Márcia Gurgel; o secretário-adjunto da Administração, George Câmara e o presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto. Estavam presentes as lideranças indígenas Cacique Dioclécio Mendonça (Amarelão/João Câmara), Cacique Luiz Katu, articulador dos Povos Indígenas do RN (Catu/Canguaretama e Goianinha), Zuleide Bezerra, coordenadora das Mulheres Indígenas do RN (Tapuia Tarairiu/Macaíba e São Gonçalo do Amarante) e Cacique Eva Claudino da Silva (Jacu/Praia do Sagi-Baía Formosa).
 

Blogs


Clique aqui e receba nossas notícias gratuitamente!