Cultura no Ponto

Ótima notícia: Som da Mata e Bosque Encena voltam no próximo dia 22

Fotos: Tiago Lima

Ótima notícia: Som da Mata e Bosque Encena voltam no próximo dia 22

O Som da Mata vai voltar. É isso mesmo! A partir do próximo dia 22 de novembro, às 16h, os finais de tarde de domingo no Parque das Dunas terão de volta a energia e o alto astral da música instrumental potiguar.

Para um retorno seguro, serão tomadas medidas preventivas baseadas no protocolo de biossegurança como distanciamento social, uso obrigatório de máscara, utilização de álcool 70% e aferição de temperatura corporal.

A reestreia será com Fuxico de Feira, banda tem no repertório músicas do cancioneiro popular e de compositores consagrados.

Na data também será celebrado o aniversário do Parque das Dunas.

Bosque Encena

Outro projeto também retorna ao anfiteatro do Parque das Dunas, o Bosque Encena, que traz programação para as crianças nas manhãs de domingo, a partir das 10h.

A volta será com o grupo Estação de Teatro. O espetáculo será o Estação de Contos, com as atrizes Nara Kelly, Ananda Khrisna e Manu Azevedo. A peça conta com a contação de histórias intercaladas com músicas e brincadeiras populares.

1º Passeio Ciclístico Histórico do Natal será realizado dia 12 de dezembro

A Caminhada Histórica do Natal já se tornou um evento anual importante para a capital potiguar. Este ano, ela apresenta uma novidade: o 1º Passeio Ciclístico Histórico do Natal. A Viva Entretenimento e a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer do Natal unem cultura, lazer, esporte e turismo em mais esse projeto, que promete ser uma verdadeira aula de história e está marcado para o dia 12 de dezembro, às 8h. Nada melhor que encerrar o ano com uma atividade lúdica e saudável.

A ideia se constitui como um espaço de estímulo ao uso da bicicleta, como modal de deslocamento urbano e de acesso à cidade, utilizando-a também como equipamento de lazer, de caráter popular e com vistas a superar e/ou minimizar os problemas cotidianos que enfrentamos pela conjuntura socioeconômica atual. “2020 foi um ano difícil para todos, e sabemos como a atividade física é positiva para ajudar em aspectos emocionais e psicológicos também. Essa foi uma das nossas motivações ao inserir o passeio ciclístico na programação da Caminhada Histórica deste ano e incentivar essa prática”, explica Jarbas Filho, diretor da Viva.

A largada será do mesmo ponto da Caminhada, indo mais longe do que o habitual trajeto. O passeio é gratuito e aberto a toda população e inclui água e acompanhamento para primeiros socorros. Os interessados devem aguardar a abertura das inscrições e garantir sua própria bicicleta, pois não haverá aluguel no local. O evento conta com o patrocínio da Unimed Natal.

Caravana REC promove oficinas de audiovisual no estado em novembro e dezembro

Caravana REC promove oficinas de audiovisual no estado em novembro e dezembro

Caravana REC é um projeto itinerante que busca promover a formação técnica, a qualificação profissional e a produção e difusão audiovisual no estado do Rio Grande do Norte. O projeto percorrerá as cidades de Mossoró, Currais Novos, Goianinha e Natal nos meses de novembro e dezembro, tendo como público-alvo jovens de 13 a 19 anos, estudantes e moradores das zonas menos favorecidas dessas cidades.

Com foco no fortalecimento da cadeia produtiva do cinema e do audiovisual independente - seguindo todas os protocolos de segurança, de acordo com os decretos vigentes, e prezando pela segurança para todos os participantes envolvidos -  serão realizadas ações como: oficina de documentário, mostra de curtas potiguares realizados nos últimos dois anos, e a distribuição dos documentários produzidos como resultado das oficinas. As oficinas terão 25 horas de duração, entre aulas expositivas e práticas, tendo como produto final um curta-metragem produzido pelos jovens participantes. Como resultado final os filmes serão exibidos no canal oficial do projeto no YouTube, como também em exibição pública em cada cidade participante.

A Caravana REC objetiva o estímulo à reflexão e o compartilhamento de saberes e experiências. Carito destacou a importância dessa troca: “Como somos realizadores em constante atividade, também vamos mostrar nossos filmes e compartilhar com eles nosso processo criativo e estratégias de trabalho, dentro de uma linguagem poética que caracteriza nossa produção e se desenvolve como um diferencial.”

Outro ponto de destaque será a exibição de curtas-metragens potiguares em uma mostra itinerante por todas as cidades participantes. Os filmes foram selecionados via edital e se inscreveram curtas de realizadores potiguares, rodados no estado do RN, com duração máxima de 20 minutos (incluindo os créditos) e finalizados a partir de janeiro de 2019. O resultado da seleção de cinco curtas será divulgado no dia 2 de novembro.

 

CARAVANA REC

- Mossoró: 9 a 14 de novembro

- Currais Novos: 23 a 28 de novembro

- Goianinha: 7 a 12 de dezembro

- Natal: 14 a 18 de dezembro

Realização: Pinote Produções

Governo do RN garante apoio à criação do primeiro museu indígena do RN

Fotos: Robson Araújo

Governo do RN garante apoio à criação do primeiro museu indígena do RN

Governadora recebeu lideranças indígenas e aprovou a parceria para instalação da instituição em Apodi

 

O Governo do Estado vai apoiar a criação do primeiro museu de história indígena do Rio Grande do Norte. A medida foi discutida em reunião realizada na tarde desta quinta-feira (27) entre a equipe da gestão estadual, encabeçada pela governadora Fátima Bezerra, e lideranças de comunidades indígenas do RN. Na ocasião, Fátima atendeu à solicitação da cacique Lúcia Paiacu Tabajara, que apresentou a demanda através de uma carta lida por sua neta Gabriela Paiva, e oficializou o apoio à criação do Museu do Índio Luíza Cantofa, em Apodi.


"O momento que estamos vivendo aqui reflete a política do Governo do Estado de reconhecimento e valorização da população indígena do Rio Grande do Norte, em atenção à legítima luta de vocês, travada ao longo dos séculos com muita resistência e bravura. Através desse encontro, que é o segundo que realizamos desde que assumimos esta gestão, reafirmo nosso compromisso em atender às justas reivindicações da população indígena potiguar", declarou a governadora.

A comunidade indígena de Apodi requisita a doação do prédio, de propriedade do Governo do Estado, localizado numa das margens da Lagoa do Apodi, em local conhecido como balneário Missão 1. O prédio foi ocupado há dois anos pela Associação Indígena Centro Histórico Cultural Tapuias Paiacus para instalação da sede da entidade e do Museu do Índio Luíza Cantofa.

Conhecida como Casa das Máquinas, a edificação foi levantada há três décadas, mas nunca funcionou.
"Construímos esta carta para solicitar que o prédio que está sendo ocupado na nossa aldeia seja doado, para que a gente possa garantir que a história dos indígenas, que não deixaram de existir, mas foram silenciados, se perpetue a todas as gerações", disse a cacique Lúcia, que há anos atua como guardiã da história de seu povo.

APOIO

Dando continuidade à política de igualdade racial implementada pelo Governo do Estado, estão sendo assistidas todas as 15 comunidades indígenas do RN com cestas básicas, máscaras e álcool em gel.  Na reunião, a governadora Fátima Bezerra fez a entrega simbólica de cestas de alimentos e dos itens de proteção, em mais um desdobramento do programa RN Chega Junto, criado para fortalecer a rede de assistência às pessoas que tiveram a situação econômica durante a pandemia do novo coronavírus.

Durante a solenidade, as lideranças presentes foram convidadas a tecer suas considerações. Todas elas reconheceram o empenho da gestão estadual pela abertura em ouvir e atender às reivindicações da população indígena do Estado, desde a implantação da Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude Social, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (Semjidh), até a entrega de alimentos e insumos no combate ao coronavírus, como também a inclusão da pauta indígena em um edital na Lei Aldir Blanc - Lei Federal de Emergencial Cultural, que está sob a gestão da Fundação José Augusto (FJA).

E por último, o apoio declarado à criação do primeiro museu indígena do Rio Grande do Norte, cujo apoio foi iniciado através de uma articulação feita com o controlador-geral Pedro Lopes, que conheceu a comunidade numa das entregas de cestas do RN Chega Junto.

Os indígenas também apresentaram as suas demandas, as suas dificuldades, as quais foram respondidas pelos gestores presentes a fim de que o Estado encontre os caminhos para solucionar. "Nós sabemos que as solicitações que vocês fizeram estão sendo atendidas pelas Secretarias de governo. Vamos nos unir e vamos em frente para poder atendê-los", destacou Eveline Guerra, titular da Semjidh.

RN CHEGA JUNTO

Até o final do ano, estão sendo entregues três mil cestas de alimentos compostas por itens da agricultura familiar, além de nove mil máscaras e 840 litros de álcool em gel às comunidades indígenas mapeadas pela Semjidh. A gestão do Programa RN Chega Junto está sendo feita pela Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), com apoio da Controladoria Geral do Estado, que também gerencia o programa RN + Protegido, para distribuição de máscaras. 

A população indígena do Rio Grande do Norte, de acordo com mapeamento feito pela Semjidh, tem cerca de 1.600 famílias cadastradas, totalizando mais de 6 mil pessoas.

Ao todo, são 15 comunidades: Sagi Trabanda e Jacu (Aldeia Potiguara/Baía Formosa); Catu (Potiguara/Canguaretama e Goianinha); Tapará (Tapuia/Macaíba e São Gonçalo do Amarante); Ladeira Grande (Tapuia/Macaiba e São Gonçalo); Lagoa do Mato (Tapuia/Macaiba); Mendonça de Natal (Potiguara/Natal-Zona Norte); Cachoeira (potiguara/Jardim de Angicos); Assentamento Santa Terezinha (Potiguara/João Câmara); Amarelão (Potiguara/João Câmara); Serrote de São Bento (Potiguara/João Câmara); Açucena (Potiguara/João Câmara), Assentamento Marajó (Potiguara/Assu); Caboclos Potiguara/Assu) e Apodi (Tapuia Paiacu/Apodi).

Participaram da solenidade o controlador-geral Pedro Lopes; as secretárias Eveline Guerra (Semjidh) e Íris Oliveira (Sethas), o secretário da Educação, Getúlio Marques e a adjunta Márcia Gurgel; o secretário-adjunto da Administração, George Câmara e o presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto. Estavam presentes as lideranças indígenas Cacique Dioclécio Mendonça (Amarelão/João Câmara), Cacique Luiz Katu, articulador dos Povos Indígenas do RN (Catu/Canguaretama e Goianinha), Zuleide Bezerra, coordenadora das Mulheres Indígenas do RN (Tapuia Tarairiu/Macaíba e São Gonçalo do Amarante) e Cacique Eva Claudino da Silva (Jacu/Praia do Sagi-Baía Formosa).
 

 Angela Almeida lança livro Mitos Enredados e realiza distribuição de exemplares

Fotos: Divulgação

 Angela Almeida lança livro Mitos Enredados e realiza distribuição de exemplares

Durante três anos, tendo como ponto de partida a obra dos autores Jorge Luís Borges, Lévi-Strauss e Câmara Cascudo, a escritora e artista plástica Angela Almeida - professora da UFRN - dedicou-se a estudar os Mitos. Da pesquisa surgiram textos, desenhos, fotografias e bordados que propõem a expansão das representações figurativas dos mitos, resultando em um livro de expressão artística, como a própria autora define.

Mitos Enredados ainda se desdobra em uma exposição por meio da plataforma www.mitosenredados.com.br. No site, é possível também realizar download gratuito da versão digital do livro. “Acreditamos que essa distribuição estratégica, gratuita e consciente seja uma maneira de democratizar o conhecimento”, afirma a produtora Mariana Hardi.

O projeto é produzido por Mariana Hardi e viabilizado por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura Djalma Maranhão da Prefeitura do Natal, com patrocínio do cemitério Morada da Paz. O livro tem distribuição gratuita para bibliotecas e escolas públicas de Natal e do Estado, instituições de referência em arte e cultura, entre outras entidades. Para adquirir exemplares, basta enviar solicitação para o e-mail mitosenredados@gmail.com. A disponibilidade de cópias é limitada.

 

Sobre a obra 

“Como máquinas de supressão do tempo, os mitos são respostas desencantadas que os homens elaboram sobre si mesmos, para expressarem ansiedades, desejos, pulsões, perplexidades diante do mundo e da vida”, assim escreve o Prof. Edgard de Assis Carvalho no prefácio do livro. As linhas seguintes presentes em Mitos Enredados não se resumem a linhas de palavras apenas, mas também linhas de contar, linhas de coser e de enredar. No livro Angela passeia por entre as expressões artísticas do bordado e da imagem, promovendo possibilidades de diálogo sobre os mitos, em um convite para reflexão intelectual e estética acerca de sua figura e suas narrativas. 

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=bdQ80HQyydA&t=35s

Ângela Almeida tem formação acadêmica em Comunicação e doutorado em Ciências Sociais pela UFRN. É professora da UFRN e desenvolve pesquisa nas áreas de artes, estética e fotografia. Migra entre atividades das artes plásticas, fotografia e curadoria. Fez a curadoria do Museu do Vaqueiro-Natal-RN. Organizou o acervo de Artes Plásticas do SEBRAE-RN e do Sistema FIERN.  Fez a curadoria da exposição em comemoração dos 50 Anos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Fez parte da Comissão de Seleção do XIII Prêmio FUNARTE Marc Ferrez de Fotografia (2013). Foi selecionada na categoria portfólio no 8º Paraty em Foco (2012). O livro de sua autoria “Quando a pele incendeia a memória” foi selecionado para o festival de Fotolivros da Revista Zum, do Instituto Moreira Salles (2018). Autora de mais de dez livros. Alguns deles: Quando a pele incendeia a memória- nasce um fotógrafo no sertão do século XIX (2017- Edufrn); Minha Aldeia Azul: Erasmo Andrade ( 2017-Edufrn); Newton Navarro: os frutos do amor amadurecem ao sol ( 2015-Edufrn); Inventário de Instantes ( 2014);  Estética do Sertão ( 2012-Edufrn); Encantaria da Pedra- O espaço estético no sertão e na obra de Flávio Freitas ( 2002)

 

Ficha Técnica

Livro Mitos Enredados

Autora: Angela Almeida

Editora da UFRN

Editor: Helton Rubiano

Programador Visual: Rafael Campos

Exposição Virtual Mitos Enredados

Obras: Angela Almeida

Site: Mood e Sofia Bauchwitz

Vídeos: Rita Machado

Assessoria: Ianne Maria

Assistente Administrativo: Anderson Santos

Coordenação do Projeto: Mariana Hardi

 

 Serviço:

Livro e Exposição Virtual Mitos Enredados

Endereços: www.mitosenredados.com.br 

Instagram: @mitosenredados

Youtube: Mitos Enredados https://www.youtube.com/channel/UC34SOCMfbKV_zCAs6GwxYOg

 

 

Conteúdo da Mostra Sesc de Arte e Cultura já está disponível na internet

Fotos: Divulgação

Conteúdo da Mostra Sesc de Arte e Cultura já está disponível na internet

A Mostra Sesc de Arte e Cultura 2020 transcende os limites da instituição do Sistema Fecomércio e ganha o mundo graças à internet, quando o site entrou no ar. O projeto “Pontos Cardeais – Intervenção Urbana” escolheu o segmento do grafitismo como representação de arte para esta edição da Mostra, que aconteceu em muros de escolas públicas da Grande Natal e está à disposição do internauta em versão virtual.

O site apresenta o conteúdo do projeto, desde a etapa de pré-produção ao trabalho finalizado, contando em cada painel a história, cultura, cotidiano e personalidades que ajudaram a construir a identidade de cada bairro contemplado. Ao todo são cinco muros, sendo eles nas zonas Leste, Oeste, Sul, Norte e Centro, e pintados pelos artistas potiguares convidados: Miguel Carcará, Marcelo Borges, FB Osmo, Clara Felix, e o coletivo Abôio formado por Clarissa Torres e Viviane Fujiwara.

Todas as edições da Mostra Sesc de Arte e Cultura contam com uma intensa programação, envolvendo a comunidade e popularizando a literatura, artes cênicas, música, artes visuais, audiovisual e expressões da cultura popular. “A proposta atual permite que entremos nas comunidades levando a expressão de arte do grafite e sem colocar as pessoas em risco diante da pandemia. Convidamos os artistas para expor a realidade de cada comunidade, por isso foi importante a participação popular na troca de informação”, comenta Fernando Virgilio, diretor regional do Sesc-RN.

A expectativa é que com o retorno das aulas, cada escola receberá o convite para dar continuidade a Mostra presencialmente como proposta de ações formativas em arte-educação na mesma temática. No site, o visitante terá acesso ao conteúdo audiovisual da obra, contando como se deu o processo de escolha, criação e execução do grafite, que será disponibilizado na internet e por meio da experiência da realidade aumentada com QR Code, fixado no próprio muro.

Blogs


Clique aqui e receba nossas notícias gratuitamente!