P-47 Aviação e História

Para celebrar a Tomada da Bastilha: Aviação francesa em Natal ao longo do tempo

Para celebrar a Tomada da Bastilha: Aviação francesa em Natal ao longo do tempo

1927: Avião Late XVIII que Paul Vachet utilizou quando chegou a Natal (Foto: Arcevo do autor)

A França celebra hoje, 14 de julho, a Tomada da Bastilha, como uma das datas mais importantes da Revolução Fracesa, ocorrida em 1789. Para lembrar a data, faremos alguns registros envolvendo a aviação francesa e Natal.

1930: Late XXV utilizando pela Aeropostale no Campo de Parnamirim (Foto: Arcevo do autor)

1933: Trimotor "Arc-en-ciel" (Arcoíris) utilizado em uma das travessias atlânticas de Jean Mermoz (Foto: Arcevo do autor)

2008: Mirage 2000N na Operação Cruzeiro do Sul, na BANT (Foto: Leonardo Dantas)

2009: Apresentação da Patroullie de France, na praia do Meio, em Natal (Foto: Leonardo Dantas)

2010: Aeronave Rafale na Cruzex, operando pela Armée de l´Air (Foto: Leonardo Dantas)

 

 

 

Qual a relação entre uma coluna de pedra, aviação e o RN?

Qual a relação entre uma coluna de pedra, aviação e o RN?

O que uma coluna de pedra, esculpida antes de Cristo tem a ver com aviação e o o Rio Grande do Norte? A resposta é simples, foi o presente dado por um ditador, reconhecendo como nosso povo é acolhedor. Popularmente conhecida como Coluna Capitolina, a peça é uma verdadeira obra de arte e foi enviada em pessoa pelo duce italiano Benito Mussolini e entregue pelo ministro da Aeronáutica, Ítalo Balbo.

Sempre se falou que a coluna foi dada em agradecimento ao povo do RN pela acolhida aos pilotos Arturo Ferrarin e Carlo Del Prete, que pousaram aqui três anos antes, quebrado o recorde de distância de voo em linha reta, unindo Roma a Touros, a 70 quilômetros de Natal (em rota aérea). Além disso, de acordo com matérias da época, a intenção do Governo Italiano era bem mais simbólica, retomando o tempo em que o Império Romano marcava sua presença com marcos deste tipo, no extremo Oriente, Espanha, Bretanha, Asia Menor, África, Egito, entre outros locais.

Dizeres da placa em mármore:

TRAZIDA DE UM SÓ LANCE / SOBRE ASAS VELOZES / ALÉM DE TODA A DISTÂNCIA / TENTADA POR CARLO DEL PRETE / E ARTURO FERRARIN / A ITÁLIA AQUI CHEGOU / EM 5 DE JULHO DE 1928 / O OCEANO NÃO MAIS DIVIDEM E SIM / UNE ASGENTES LATINAS / DA ITÁLIA E DO BRASIL

Ao longo dos anos, a coluna ocupou pelo menos três locais diferentes; primeiro na entrada do Porto de Natal, em baixo do Viaduto do Baldo e no pátio do Instituto Histórico e Geográfico do RN (onde permanece atualmente). Existe inclusive um relato de que a população de Natal havia danificado a coluna após o levante comunista na década de 1930 e durante a Segunda Guerra Mundial, por ser um presente fascista. No anos 1990, ela foi alvo de pichadores, por isso, foi retirada do Baldo e levada para o IHGRN.

Imagem da Coluna Capitolina após 1931, instalada no bairro das Rocas (Foto: Arcevo do autor)

Foto aérea do bairro das Rocas, mostrando a coluna, após 1931 (Foto: Arcevo do autor)

Imagem aérea do Porto de Natal, mostrando mais uma vez a posição original da Coluna Capitolina (Foto: Porto de Natal)

Posição da original da Coluna Capitolina, no pátio da IHGRN (Foto: Leonardo Dantas)

Ao concluir, apesar de considerar um presente absurdo, pois comparo como se depredássemos o nosso Forte de Reis Magos presenteando municípios com partes da edificação, a coluna faz parte de nossa história e estar sob nossa guarda.

Links Relacionados:

92 anos do voo sem escalas entre Roma e Touros

Pouso do Antonov AN-74 suspenso no RN

Pouso do Antonov AN-74 suspenso no RN

O Antonov An-74 que passaria pelo Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, região da Grande Natal, teve o voo suspenso e não passará pelo RN, no fim de semana. A expectativa é que a rota aconteça nos próximos dez dias.

Vamos continuar acompanhando e qualquer novidade publicaremos no blog.

Link Relacionado:

Avião Antonov AN-74 passará pelo RN

Avião Antonov AN-74 passará pelo RN

Avião Antonov AN-74 passará pelo RN

Uma aeronave Antonov, modelo AN-74, passará por Natal entre os dias 12 e 13 de julho, quando pousará no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante. O avião da era soviética não é um dos maiores do fabricante, contudo, chama atenção pelo designer, pois enquanto a maioria das aeronaves possuem os motores sob as asas, o AN-74 tem os motores em uma posição acima.

O registro de voo, prevê que ele chegará ao aeroporto no domingo (12), por volta das 22h30, partindo na segunda-feira (13), às 13h, com destino a Ilha do Sal, no Oceano Atlântico. Quem quiser acompanhar a viagem, o voo estará identificado como ADB3261. A viagem completa inclui Lima, no Peru, e Campo Grande, antes do RN.

O AN-74 é um aviação ucraniano, fabricado pela Antonov ainda na década de 1980, com objetivo de ser avião de transporte de pequena e média distância, com capacidade de decolar e voar sob condições extremas de temperatura, seja para o frio ou calor. Seu projeto é uma variante do AN-72.

Ficha Técnica

Motores: 02 Lotarev D-36

Comprimento: 28,07 m

Envergadura: 31,89 m

Altura: 8,63 m

Velocidade: 600km/h (cruzeiro) e 700 km/h (máxima)

Alcance: 4.325 km

Teto: 10.100 m

Carga Útil: 7.500 kg

 

Referências:

https://antonov.com/en/history/an-74

1928 - Quem eram Ferrarin e Del Prete

1928 - Quem eram Ferrarin e Del Prete

Imagem de Ferrarin com a bandeira do Japão e Del Prete em traje de voo (Foto: Acervo do autor via Paolo Miana)

Continuando os posts sobre o voo do Savoia-Marchetti “S-64” e o raid Roma a Touros, vamos falar sobre os protagonistas. A escolha dos dois pilotos não foi a toa e ministro da Aeronáutica da Itália, Ítalo Balbo sabia o que fazia para alcançar o sucesso. Ele optou por um experiente aviador, veterano da Primeira Guerra Mundial e o outro era militar com experiência em viagens de grandes distâncias.

Arturo Ferrarin (1895 – 1941) era um famoso piloto na Itália antes mesmo de vim ao Brasil, pois em 1920 havia concluído o raid Roma-Tóquio, marcando o primeiro voo entre a Europa e o Japão. Ele fez carreira como militar, próximo do ministro Balbo. Faleceu aos 46 anos, vítima de acidente aéreo, na Itália.

Imagem de Del Prete em Natal, acompanhado de algum cidadão (Foto: Arcevo da família Dantas)

Carlo Del Prete (1897 – 1928) também tinha experiência na Primeira Guerra Mundial, contudo, como oficial da Marinha, tornando-se piloto em 1922. Era conhecido por ter feito grandes viagens em nome da Itália, estando em 1927, em Natal, ao lado do marquês De Pinedo. Fatidicamente, ele morre na viagem ao Brasil, não devido ao acidente com o S-64, mas a bordo de um avião da Marinha do Brasil, em 16 de agosto de 1928, ao cair no Rio de Janeiro. Ferrarin também estava no voo e ambos são resgatados com vida, contudo, Del Prete não resiste aos ferimentos.

Foto conhecida, possivelmente, um dos últimos registros de Del Prete (à dir.) com saúde (Foto: Arcevo do autor)

Links relacionados:

92 anos do voo sem escalas entre Roma e Touros

Blogs

Natal tem noite chuvosa com trovões e relâmpagos