“Augusto Severo, conquistador dos ares, senhor do espaço, não será uma glória brasileira, mas universal. Dentre as inúmeras manifestações de admiração e respeito que lhe serão tributadas; esforcemo-nos, porém, nós os riograndenses do norte, por dispensar-lhe a mais eloquente, a mais sincera e enthusiastica”

Assim destaca o jornal “A República”, de 10 de maio de 1902, o feito do potiguar Augusto Severo de Albuquerque Maranhão (1864 – 1902), que dois dias depois colocaria no ar e morreria a bordo do balão “PAX”, na avenida do Maine, em Paris, na França. A data está celebrando 118 anos e marca uns fatos mais importantes da história aeronáutica do Brasil e, quem sabe, do mundo.

Um dia antes do acidente, diversos países parabenizavam Severo pelo feito, já que dias antes o teste do “PAX” havia sido um sucesso aos olhos atentos de observadores do Aeroclube de Paris, entre eles, o também brasileiro e pioneiro Santos Dumont.

Esses telegramas foram publicados na primeira página do jornal “A República”, do dia 12 de maio de 1902:

“Constantes telegramas de vários pontos da Europa, publicados hoje aqui exaltam o mérito excepcional do balão “PAX” de Augusto Severo. As experiências preliminares têm dado resultados seguríssimos da estabilidade e direção da aeronave”.

Coincidentemente, na margem oposta da também primeira página, consta a notícia do acidente, ocorrido quatro horas antes:

“Acabamos de ser feridos no mais profundo dos nossos sentimentos e das nossas esperanças com a notícia da morte do nosso eminente representante, o grande brasileiro Augusto Severo, conforme os seguintes telegrammas que passamos a publicar e que irão echoar como um dobre de finados na alma norte-rio-grandense:

Rio,12. O Jornal do Commercio acaba de affixar este telegrama:

Paris, 12. Às 6 horas da manhan de hontem, quando o balão PAX partia para sua experiencia definitiva, deu-se uma explosão no motor, morrendo Augusto Severo e o chaufeur A. Sachet...”

A notícia foi um choque para os parisienses e brasileiros, sobretudo os norte-rio-grandenses. Logo de imediato, o Aeroclube de Paris informou que custearia o enterro de Severo e do mecânico Sachet, e ainda pediu permissão para levantar um monumento no local do sepultamento.

Até voltar ao Brasil, o corpo de Augusto Severo permaneceu embalsamado e envolto em pedaço de seda, remanescente do balão.Ainda em 17 de maio de 1902, a Intendência Municipal decide criar a praça Augusto Severo e um comitê começa a arrecadar fundos para uma estátua.

Links Relacionados:

Agência Espacial Brasileira homenageia Augusto Severo

Um potiguar ilustre na missão de resgate dos brasileiros na China

[FOTO] Imagem rara mostra voo do balão PAX

Balão PAX em vôo, momentos antes da queda (Foto: Acervo do autor)


Imagem logo após a queda (Foto: Arcevo do autor)