O mundo foi tomado hoje, de súbito, com o passamento de Diego Armando Maradona, aos 60 anos. “El Pibe D’Oro”, como foi chamado quando começou a encantar o mundo com suas arrancadas agudas para o gol, foi um dos maiores jogadores de todos os tempos, com uma categoria única, o toque de classe e a raça com que enfrentava o adversário. A Kolluna poderia escrever qualquer coisa a exaltá-lo, mas certamente outros tantos colunistas Brasil e mundo afora irão contar às maravilhas que viram fazer Don Diego nos campos de futebol.   

Vamos repetir a postagem original, feita neste Portal em 25.09.2019, em que retratamos a história do duelo entre Hugo Gatti, goleiro do Boca Juniors e Maradona, ainda começando no Argentinos Juniors.

AD10S, CRAQUE!

Segue a história:

Ambos argentinos. O primeiro um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, dispensando apresentação. Genial dentro de campo, controverso fora dele. Disparou tiros de ar comprimido em jornalistas, teve problemas com a justiça italiana e com a FIFA, viveu o pesadelo das drogas. Contou, ao sair de mais uma internação numa clínica de reabilitação:

- “Na clínica há um que acha que é o Napoleão, há outro que diz que o Robinson Crusoé e ninguém acredita que eu sou o Maradona”.

O segundo chama-se Hugo Gatti, um célebre goleiro argentino, espalhafatoso nas vestes e que gostava de sair jogando como um zagueiro, o que lhe valeu o apelido de “El Loco”.  Defendeu o Boca Juniors por 12 anos, encerrando a carreira aos 44 anos e após 26 anos no futebol.

Em 1980, Diego Maradona despontava no Argentinos Juniors e Hugo Gatti já começava a pensar na aposentadoria. Na véspera do confronto entre as equipes pelo Campeonato Nacional, Maradona, então artilheiro da competição, avisou que faria dois gols em “El Loco”, apimentando o jogo. Gatti, a fim de justificar seu apelido, respondeu que o prodígio era bom jogador, mas lhe preocupava o físico do garoto, pois tinha tendência para ser gordinho. Maradona ouviu e objetou o arqueiro dizendo que não seriam mais dois, e sim, quatro gols. O jogo foi realizado no Estádio La Bombonera. “El Pibe D’Oro” cumpriu sua promessa. O Argentinos Juniors venceu por 5x3 o Boca Juniors com quatro gols do camisa 10, calando o camisa 1.

Abaixo o link dos gols na referida partida.

Créditos de Imagens e Informações para criação do texto: “As melhores histórias do futebol mundial” (Sérgio Pereira)