A chegada das águas do São Francisco ao Rio Grande do Norte é um marco histórico para o nosso Estado. Algo só comparável com a energia elétrica conquistada nos anos 60. É uma revolução que está prestes a ser iniciada no interior potiguar. E isso não é exagero. 

Com água, nossas pequenas cidades que pareciam eternamente condenadas ao subdesenvolvimento, poderão atrair empresas, fomentar a agricultura, gerar emprego e renda na sua própria terra. Água é item fundamental para a existência de qualquer vida e/ou negócio. 

Confesso que, por muitas vezes, custei a acreditar que um dia essa obra fosse ser concluída. Como poderia o Brasil, tão acostumado a projetos que não saem do papel ou que quadruplicam de preço, transformar algo tão faraônico em realidade? Mas, o fato é que isso acaba hoje. 

Que as águas do São Francisco tragam com elas um novo futuro para o Rio Grande do Norte.