O outro episódio lembrado pelo blog - complementando a postagem anterior - é a sonora vaia recebida por Raí, em 1998.

Assim como Julinho Botelho, personagem do primeiro episódio, Raí também foi vendido para a Europa após a Copa do Mundo. Em 1994, seu destino foi o Paris Saint Germain/FRA. Tornou-se ídolo na França e retornou ao São Paulo em 1998, no primeiro semestre. Em sua reestreia, foi campeão paulista marcando um gol em cima do Corinthians no mesmo dia em que desembarcou no Brasil. Não havia participado mais da seleção desde 1994 e recebeu uma oportunidade para jogar num último amistoso próximo a convocação para a Copa de 1998. O Raí estava muito bem no PSG, a Copa era na França e foi convocado para jogar contra a Argentina, no Maracanã. No banco de reservas, Edmundo, que não aceitava essa condição. Adversário e terreno inóspito, além do “Animal” babando no banco esperando a oportunidade para, literalmente, atacar a presa. Esse foi o contexto de sua reestreia na seleção brasileira.

Raí, que iniciou a Copa de 1994 como capitão e usou a camisa 10, recebeu a camisa 7 para participar do amistoso, enquanto a 10 era dada a Denílson.   

A seleção perdeu por 1x0, com um gol de Claudio “El Piojo” López e a torcida descontou a raiva em cima do irmão de Sócrates, que ainda teve que ouvir o coro bairrista de “Raí, pede pra sair” e a própria torcida gritar “olé” enquanto a Argentina trocava passes.

Esta partida tem duas curiosidades. Foi a primeira e única vez que Ronaldo jogou pela seleção brasileira no Maracanã; e que ele e Romário jogaram juntos pelo escrete nacional, no Maracanã. 

Na ilustração da postagem vemos o momento do gol argentino e o vídeo onde a torcida apupa o jogador Raí.

FICHA TÉCNICA:

Brasil 0 x 1 Argentina

Data: 29.04.1998

Local: Maracanã

Árbitro: Alain Sars (FRA)

Público: 95797

Gols: Claudio López (84’).

Brasil: Taffarel; Cafu, Junior Baiano, Aldair (Cleber) e Roberto Carlos; Zé Elias, Cesar Sampaio, Raí (Leonardo) e Denilson (Edmundo); Ronaldo e Romário. Técnico: Zagallo

Argentina: Germán Burgos; Nelson Vivas, Robero Ayala, Nestor Sensini e Gabriel Zanetti; Matias Almeyda, Juan Verón, Ariel Ortega (Marcelo Delgado) e Diego Simeone; Cláudio Lópes (Mauricio Pineda) e Gabriel Batistuta. Técnico: Daniel Passarela

Créditos de Imagens e Informações para criação do texto: https://www.foxsports.com.br/videos/359691843857-rai-fala-sobre-vaias-no-maracana-em-98-pior-momento-da-minha-carreira; https://www.youtube.com/watch?v=wDv1uSsvnf8