Turismo & Negócios

ABAV Expo retoma formato itinerante e confirma edição 2021 em Fortaleza (CE)

ABAV Expo retoma formato itinerante e confirma edição 2021 em Fortaleza (CE)

Proposta da entidade é traçar um planejamento antecipado para os próximos cinco anos, que contemple um grande destino turístico de cada uma das regiões brasileiras São - A Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV Nacional) anunciou nesta terça-feira a decisão de retomar a partir deste ano o caráter itinerante que consolidou a ABAV Expo como o principal evento do calendário do turismo nacional. Realizado anualmente pela ABAV desde 1974, o Congresso Brasileiro de Agências de Viagens, como foi originalmente batizado, percorreu 15 cidades brasileiras até se fixar no Rio de Janeiro por dez anos, e depois migrar para São Paulo, onde permaneceu entre 2013 e 2019. Em função da pandemia, decretada em março do ano passado, a organização optou pela realização de um evento online, prorrogando para 2021 a 48ª edição da ABAV Expo que agora a entidade confirma para o período de 6 a 8 de outubro no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, que dessa forma se torna o primeiro destino a sediar o evento nesta nova fase itinerante. De acordo com a presidente da ABAV Nacional, Magda Nassar, a retomada do modelo itinerante sempre foi um desejo manifestado pelos participantes da ABAV Expo – visitantes e expositores, principalmente do público internacional. O crescimento contínuo do evento ao longo dos anos, entretanto, acabou por limitar as opções, considerando a logística necessária em cada destino. Incluem-se aí malha aérea, parque hoteleiro e um centro de eventos de ponta, sem mencionar outros tantos segmentos e fornecedores envolvidos na organização de um evento do porte da ABAV Expo. “Com as ferramentas e plataformas online disponíveis hoje é possível gerar público, negócios, promover conhecimento e proporcionar experiências reais a partir de qualquer destino. Quebramos essa barreira com a realização do ABAV Collab no ano passado e nossa proposta para este ano é transformar a ABAV Expo em uma multiplataforma de negócios e vivências com um evento híbrido, que agregue ao espaço presencial as infinitas possibilidades de uma participação online”, explica Magda. Em meio à concepção deste projeto inovador, um convite inesperado da Secretaria de Turismo do Estado do Ceará para que Fortaleza voltasse a receber uma edição da ABAV Expo (já havia sido sede nos primórdios do Congresso ABAV, em 1976 e 1989) acelerou o processo inicialmente previsto para o médio prazo. Decisão tomada, com aprovação unânime da diretoria e presidentes das estaduais, a ABAV lança a partir desta edição a proposta de traçar um planejamento antecipado para os próximos cinco anos, que contemple um grande destino turístico de cada uma das cinco regiões brasileiras, como forma de promover o turismo doméstico, que ganhará força quando o mercado reaquecer. E já há uma fila de capitais pleiteando a edição 2022. “Temos comprovadamente uma demanda reprimida por viagens de lazer, que já foram apontadas em inúmeras pesquisas como desejo prioritário do brasileiro quando as restrições da pandemia forem flexibilizadas. O mesmo vai acontecer com as viagens de negócios e com os eventos, e queremos estar passos adiante nesse tão esperado caminho da retomada”, afirma a presidente da ABAV Nacional, Magda Nassar. A ABAV Expo & Collab vai abarcar também a programação do Matchbusiness, potencializando a realização de negócios, por meio de uma dinâmica híbrida e diferenciada. “Teremos um agenda intensa nos dias da feira que reunirá compradores e fornecedores em rodadas de negócios promovidas em diferentes pontos e equipamentos turísticos do Ceará, acontecendo simultaneamente à programação da ABAV Expo, sempre ancorados na premissa de possibilitar um mix de negócios, capacitação e networking. Queremos entregar uma edição histórica, deixar a nossa contribuição como mais uma iniciativa pioneira e inovadora da ABAV”, conclui a presidente da entidade que, sem revelar detalhes, antecipa mais uma ampliação no portfólio de eventos da entidade, com um projeto inteiramente novo para o calendário do primeiro semestre de 2022, este fixo na capital paulista. As novidades foram apresentadas durante coletiva de imprensa que contou com a participação do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, do presidente da Embratur, Carlos Brito, do Secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Vinícius Lummertz, do secretário de Turismo do Estado do Ceará, Arialdo Mello Pinho, e dos presidentes da ABIH Nacional, Manoel Linhares, da ABIH-CE, Régis Nogueira de Medeiros, e da ABAV-CE, Murilo Santa Cruz.

Projeto de Lei do Senador Jean vai permitir geração de energia no mar

Projeto de Lei do Senador Jean vai permitir geração de energia no mar



Senador Jean é autor do projeto de lei que vai permitir a geração de energia renovável no mar brasileiro. Na segunda-feira (3), o parlamentar se reuniu em Brasília com o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para apresentar o escopo técnico do projeto. O PL 576/2021, que está em tramitação no Senado, cria um Marco Regulatório que favorece o desenvolvimento de projetos para aproveitar toda a capacidade de geração de energia limpa ainda inexplorada na costa marítima brasileira.

De acordo com Jean, a proposta trará mais investimentos para o setor energético e oferecerá oportunidades para geração de mais empregos no país, colocando o Brasil novamente no mapa do pioneirismo tecnológico e sustentável.

“O mercado offshore brasileiro certamente será o mais atrativo e competitivo em todo o mundo nos próximos 5 ou 10 anos devido às condições favoráveis de vento, clima, e considerando o ambiente operacional de baixo custo”, salienta o Senador Jean. “Esse PL era o tijolinho que estava faltando para autorizar a instalação de projetos que hoje já estão em desenvolvimento no país”, complementa.

Na reunião com o Ministro de Minas e Energia, a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), principal entidade representativa do setor no país, destacou o trabalho de Jean no desenvolvimento do setor e por desbravar os primeiros passos na consolidação da energia eólica no Brasil.

O senador afirmou que o Rio Grande do Norte e o Ceará, por exemplo, possuem as melhores áreas de costa marítima para a geração de energia eólica, com média de produção que ultrapassa os 80%. De acordo com o parlamentar, o Brasil tem um grande potencial para instalação de projetos offshore que explorem a energia dos ventos, solar e da força das marés em nossa costa.

Para o Senador Jean, líder da minoria no Senado Federal e especialista em energia, a diversificação da matriz energética é fundamental para o aumento da segurança do sistema elétrico nacional.

“O projeto de lei também se preocupa com a harmonização de atividades, sobretudo as de natureza econômica, realizadas em mar, como navegação, pesca, e aos aspectos socioambientais”, concluiu Jean.

Territórios colaborativos pela educação

 

Tecnologia Social promove formação continuada de coordenadores pedagógicos e ações pela melhoria da educação pública

Com determinação e persistência, o Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (Icep) nasceu há mais de 20 anos, na Chapada Diamantina (BA), com o sonho de transformar a vida de crianças garantindo a elas o direito a uma educação pública de qualidade. À época, os desafios eram diversos: recursos escassos, não havia coordenadores pedagógicos nas escolas e as redes de educação atuavam de forma desarticulada. Foi então que a educadora Cybele Amado teve a ideia de reunir educadores e gestores promovendo um movimento de colaboração em torno desse propósito.

Desta forma nasceu a Tecnologia Social “Territórios Colaborativos pela Educação”, que atua em três pilares: na formação continuada de educadores, gestores e equipes técnicas das redes municipais; na produção de materiais didáticos e documentos curriculares municipais; e na mobilização sociopolítica de atores sociais para a permanência das boas práticas e políticas educacionais nos municípios. 

A tecnologia educacional realiza a articulação com os setores público, privado e a sociedade civil; a troca de experiências entre redes, com ênfase na colaboração e a implantação e fortalecimento da política municipal de formação continuada vinculada às práticas profissionais. A iniciativa promove também a avaliação e o monitoramento permanente das aprendizagens. “Nessa metodologia, é fundamental que a comunidade e os educadores legitimem todas as estratégias que se pretenda aplicar a fim de criar um ambiente educador em cada cidade”, explica Elisabete Monteiro, diretora presidente e pedagógica do Instituto Chapada.

Atualmente a rede Icep abrange 285 mil estudantes, 2.600 escolas e mais de 15 mil educadores. A tecnologia é amplamente aplicada em todos os municípios de atuação do Instituto Chapada. Atualmente abrange cerca de 30 municípios da Bahia, em quatro territórios: Chapada Diamantina e Regiões, Litoral Sul, Agreste Litoral Norte, Salvador e região metropolitana. Os territórios da Chapada Diamantina e Regiões e do Agreste Litoral Norte atuam em regime de colaboração através dos Arranjos de Desenvolvimento da Educação (ADE). Uma novidade é que neste ano a tecnologia encontra-se em expansão também nos estados de Alagoas e São Paulo.

Os impactos e resultados da atuação do Icep por meio da metodologia “Territórios Colaborativos pela Educação” nos municípios são expressivos e se destacam em cinco dimensões: participação dos pais e da comunidade no planejamento da educação municipal; consolidação de espaços de acompanhamento, análise e reflexão da prática didática nas redes municipais parceiras; gestão pública mais comprometida com resultados na educação e articulada em níveis intramunicipal e intermunicipal; redução significativa dos índices de reprovação e abandono dos estudantes à escola; aumento do número de crianças plenamente alfabetizadas (89% no 2º ano de escolarização); e crescimentos das notas nas avaliações nacionais como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).

Todo material produzido é disponibilizado ao público pelo portal e redes sociais do Icep, as publicações podem ser acessadas e baixadas gratuitamente no site. Os vídeos estão disponíveis no canal do Youtube.

O início

A história teve início em 1997, com o Programa de Desenvolvimento e Auxílio ao Professor, no município de Palmeiras (BA), abrangendo escolas rurais, desenho inicial do que viria a ser uma tecnologia colaborativa.  E em 1999 com investimento, comprometimento e participação coletiva em prol da qualidade da educação pública nasceu o Projeto Chapada, elaborado a muitas mãos por educadores, comunidade local, associações de agricultores, pais e secretários municipais de educação de 12 municípios da Chapada Diamantina. Desse trabalho coletivo e a partir dos resultados alcançados nos primeiros anos, em 2016 constitui-se o Instituto Chapada, uma organização que acredita na educação como principal instrumento de inclusão, de crescimento social e democracia.

Certificação

Em 2019, a metodologia recebeu certificação no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social. “É um orgulho e uma alegria ter a certificação, pois é um reconhecimento da Tecnologia Social criada e desenvolvida pelo Instituo Chapada, há mais de 20 anos, de forma colaborativa com parceiros públicos e privados que acreditam na transformação da educação. O selo valoriza e reforça a importância da nossa atuação, demonstrando que é uma tecnologia que traz resultados efetivos para as comunidades em que atuamos e que pode ser replicada em outros territórios”, destaca Elisabete.

Inscrições abertas!

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2021. As instituições interessadas têm até o dia 28 de maio de 2021 para se cadastrar, exclusivamente pelo site transforma.fbb.org.br/premios. Os resultados de cada etapa do Prêmio – certificadas e finalistas – serão divulgados no portal de notícias da Fundação BB e na Plataforma Transforma! Podem participar entidades sem fins lucrativos, como instituições de ensino e de pesquisa, fundações, cooperativas, organizações da sociedade civil e órgãos governamentais de direito público ou privado, legalmente constituídas no Brasil.

Para tornar o processo de participação mais acessível, os interessados podem conferir o vídeo tutorial com todo o passo a passo para inscrever novas iniciativas.

Sobre a Fundação Banco do Brasil

Em 35 anos de atuação, a Fundação Banco do Brasil investe em projetos estruturados de Educação para o Futuro, Meio Ambiente e Renda, Ajuda Humanitária, Voluntariado e Tecnologia Social. A Fundação BB fomenta e multiplica soluções para a transformação socioambiental do país por meio das melhores práticas de governança e integridade e da mobilização de recursos de novas parcerias com investidores sociais. De 2010 a 2020 foram destinados mais de R$ 3,1 bilhões em recursos, aplicados em mais de 6 mil projetos, programas e ações com a participação de 5,6 milhões de pessoas em cerca de 2,2 mil municípios brasileiros.

Turkish Airlines retoma serviço premium de refeições a bordo

 

A Turkish Airlines retoma seu serviço premium de refeições a bordo e de refeições quentes em todos seus voos nacionais e internacionais com mais de 2 horas e 15 minutos de duração. O serviço está disponível nas classes Executiva e Econômica.

A transportadora global oferece uma experiência de viagem premium e é mundialmente conhecida por sua culinária premiada e pela hospitalidade turca. Em 2020, a Turkish Airlines havia alterado temporariamente os serviços de refeições de seus voos, seguindo as medidas de saúde relacionadas ao coronavírus.

Ainda de acordo com as normas de saúde e higiene, a companhia volta a oferecer menus premium completos e preparados com ingredientes frescos. 

Especialidades no café da manhã:

• Mel de Erzincan, creme “kaymak”, típico da cidade de Afyon, pimenta apimentada turca e pasta de tomate;

• “Gözleme”, pastel grelhado recheado com queijo e espinafre;

• Omelete de queijo e tomate com cogumelos salteados;

• Seleção de queijos regionais: queijo envelhecido (Kars) e o queijo“Ezine” (Çanakkale) com azeitonas turcas marinadas, figos secos e damascos.

Especialidades no jantar:

• Almôndega grelhada turca com abobrinha salteada e pimenta vermelha assada e vegetais no estilo bulgur pilaf;

• Filé de peixe-espada grelhado com purê de batata, aipo e legumes à moda toscana;

• Variedades de "Dolma", folhas de videira recheadas com carne picada e abobrinha e "Karniyarik", berinjela com carne picada, molho de tomate e iogurte;

• Ravioli turco caseiro (“Manti”) com carne picada, molho de tomate e iogurte;

• Costeletas de cordeiro grelhadas com polenta e ratatouille;

• Robalo em papelote e vegetais à julienne;

• “Karniyarik”, tradicional berinjela recheada com carne picada e arroz na manteiga;

• Frango grelhado com tomate e pimenta no estilo bulgur pilaf;

• Rigatoni com molho de tomate e parmesão caseiro.

A Turkish Airlines também serve uma seleção de bebidas quentes e frias, sucos naturais e chás.

Sobre a Global Vision Access

A Global Vision Access é uma empresa de comunicação e marketing em turismo, reconhecida no mercado nacional e internacional. A GVA facilita a entrada e a consolidação de destinos turísticos no mercado brasileiro, oferecendo serviços de planejamento estratégico, marketing e relações públicas e sempre se destacando com os projetos especiais que desenvolve. Fazem parte do portfólio da empresa Jordânia, Mônaco, Ilhas Seychelles e Turkish Airlines. Também inclui-se ao portfólio da GVA parcerias estratégicas com organizações e empresas de outras indústrias que buscam maximizar exposição, oportunidades de negócios e retorno sobre o investimento para cada cliente. 

 

Nesta quarta tem estreia do “Festival Som sem Plugs” com shows inéditos

 

Para o dia 12 de maio, Festival traz Khrystal, Dani Cruz, João Salinas, Ricardo Baya, Sérgio Groove, Jubileu Filho e Darlan Marley

É com o intuito de desempenhar um importante apoio à classe artística, profissionais do audiovisual, eventos e comunicação do Rio Grande do Norte que o projeto Som sem Plugs - SSP estreia nesta quarta-feira, dia 5 de maio, a primeira edição do seu Festival viabilizado pela Lei Aldir Blanc e com transmissão online pelo canal do SSP no YouTube, às 20h. No total serão quatro shows inéditos, sendo dois no dia 05 de maio e dois no dia 12 de maio.

Na exibição desta quarta, o público desfrutará de dois lindos shows, sendo: Debinha Ramos, Liz Rosa & Eduardo Taufic no show “Na Intimidade do Samba” - uma homenagem ao samba e, Sueldo Soaress, Sâmela Ramos & Ozi Cavalcante que ainda convidam o baixista Sérgio Groove, o cajonista e baterista Judson Philipe e o guitarrista Jubileu Filho. Acesse agora mesmo o canal do SSP no Youtube www.youtube.com/somsemplugs, se inscreva e ative as notificações.  

Já no dia 12 de maio, mais dois encontros inéditos. O primeiro é formado por Dani Cruz, João Salinas & Ricardo Baya que apresentam o show “Paisagens Musicais” baseado nos olhares em torno da natureza, suas relações com o mar e com o amor. Os três bebem de uma fonte comum que é a Música Popular Brasileira, grande influência na sonoridade de seus trabalhos autorais, no entanto, cada um deles firma, a seu modo, traços de estilos como o jazz, raízes rítmicas africanas e melodias da bossa nova. Estarão com o trio, o contrabaixista Daniel Ribeiro e o baterista Rogério Pitomba, incluindo mais swing e força nas canções do repertório.

E, para encerrar o Festival, aceitaram o desafio e prepararam uma apresentação, Khrystal, Sérgio Groove, Jubileu Filho & Darlan Marley. O show vai reverenciar o cancioneiro potiguar do antes e do agora, com referências à Galvão Filho, Babal, Pedro Mendes e Ivanildo Sax de Ouro, que junto de Jacob do Bandolim, saúda o choro na terra de K-Ximbinho e Ademilde Fonseca. O trio harmoniza o roteiro às composições recentes como “Resignado” de Khrystal e Jubileu Filho e “Romã”, “Todo Pensamento” e “A vida é boa”, parcerias entre Khrystal e Sérgio Groove. Esse show vai contar ainda com uma homenagem à inesquecível Glorinha Oliveira, grande dama do canto potiguar que partiu recentemente. O tema escolhido para homenageá-la é o “Cidade Amor”, parceria de Glorinha com Fernando Luiz.

É isso, uma lista de cantores e músicos de tirar o fôlego, em um só evento, que promete emocionar, encantar e alegrar o público com momentos inesquecíveis! O Festival Som sem Plugs é todo produzido e conduzido por profissionais que são referência do audiovisual no estado e que entregarão a todos, uma imersão profunda na musicalidade e na essência de cada artista convidado. O evento é realizado pela Betapro Foto & Vídeo com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte. Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. Conta ainda com os apoios do Senac/RN e Hotel Barreira Roxa, Grupo Dunas, Massa Finna, Arte Musical, O Padeiro, Studio Arena, Letah e InterTV.

As gravações foram realizadas no Hotel Barreira Roxa em Natal e seguiram todos os protocolos de saúde e segurança do Estado no combate a Covid-19. Equipe e artistas passaram pelo teste e demais cuidados que puderam garantir a integridade dos participantes.

Com anos de existência e a atuação no RN, o Som sem Plugs está presente nas plataformas digitais ao alcance de todos. Acompanhe as novidades e participe junto com o projeto. Siga, curta e compartilhe com o mundo, o melhor da arte e da musicalidade potiguar!

Site - www.somsemplugs.com.br / YouTube www.youtube.com/somsemplugs e redes sociais @somsemplugs.

 

Resorts Brasil comemora sanção do Governo Federal ao PERSE

Resorts Brasil comemora sanção do Governo Federal ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – PERSE

Para a Associação, conquista é resultado da união do setor e da colaboração dos Poderes. Porém, debate com o Executivo e Legislativo precisa continuar. Projeto representa um marco para a retomada saudável do turismo nacional

Com a sanção presidencial ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos, o PERSE, o turismo comemora com um sentimento de alívio, esperança e cautela. É o caso da Resorts Brasil, associação responsável por representar 53 empreendimentos por todo o país, que celebra ao mesmo tempo em que pensa na retomada do mercado. O projeto é uma luta de todas as associações representantes do turismo nacional e é mais uma importante vitória desde o início da paralisação causada pela pandemia, em março de 2020. O setor foi o primeiro a ser contemplado com um Programa Emergencial desde então. A conquista é vista como uma primeira etapa vencida, mas que o caminho ainda é longo e depende da manutenção da conversa entre os profissionais e os parlamentares.

Para Sérgio Souza, Presidente da Resorts Brasil, a vitória resulta de uma união de esforços entre o setor, parlamentares e Presidência da República: “Temos muito a comemorar e a agradecer. Nada seria possível sem nos unirmos e mostrarmos a importância do setor de turismo e eventos para o bom desempenho da economia nacional. Meu reconhecimento também aos esforços do Legislativo para a aprovação do projeto e ao Governo Federal pela sensibilidade em amparar o setor, responsável por 8% do PIB nacional. Vale ressaltar os 7,4 milhões de empregos diretos, indiretos e induzidos fomentados pelo setor de Turismo e Eventos no Brasil, de acordo com os dados anteriores à paralisação. Porém, a conversa precisa continuar para conseguirmos achar uma solução para os pontos que não foram atendidos no projeto de lei, mas que são de extrema importância para nós”.

Ana Biselli Aidar, Presidente Executiva da Resorts Brasil, também destaca a importância da aprovação do projeto. "O PERSE parte do turismo, mas tem impacto em todos os setores produtivos, uma vez que movimentamos 571 atividades econômicas em todas as regiões do país. Apesar de parecer uma medida setorial, o impacto é visto em todo o país, por isso, foi uma decisão muito importante do Governo Federal em ouvir o turismo, que por sua vez agrega a outros tantos setores".

O objetivo do PERSE é aliviar as perdas causadas pela pandemia e contempla pontos importantes como o refinanciamento de obrigações fiscais, não fiscais e FGTS, desoneração fiscal e crédito para as empresas. O Programa Emergencial foi aprovado com vetos, como a proposta de isentar as empresas do pagamento de tributos federais por 60 meses e indenização para quem perdeu faturamento entre 2019 e 2020. Outro ponto vetado, mas parcialmente, é o relacionado ao Programa de Garantia aos Setores Críticos (PGSC), que garante o risco em operações de créditos para empresas de diferentes portes.

Para Ana, a manutenção do diálogo também é fundamental. "Ainda restam algumas etapas pela frente, desde a regulamentação quanto às soluções relativas aos temas que foram vetados, que são muito importantes para acelerar o processo de recuperação do setor. Portanto, é importante que o diálogo se mantenha vivo entre os poderes e setor produtivo para colocar em prática o projeto".

Determinante para a manutenção de empresas e empregos do setor de turismo, o PERSE colabora com a desaceleração da crise e acelera a recuperação de toda a cadeia produtiva. Para as próximas etapas, a ideia é discutir novamente os pontos vetados junto aos parlamentares, como forma de por em debate novamente a importância dos assuntos para a retomada. “Com a energia renovada e as garantias de que não estamos desamparados, podemos garantir a sobrevivência do turismo. Com o PERSE, podemos atuar e tornar o turismo uma política de estado, assim darmos mais visibilidade ao setor nos próximos momentos de retomada”, conclui Sérgio.

 

Blogs


Clique aqui e receba nossas notícias gratuitamente!