Turismo & Negócios

Governo apresenta ações para minimizar impactos no setor do turismo

Governo apresenta ações para minimizar impactos no setor do turismo

 

 

Durante reunião virtual com empresários, foi anunciado um conjunto de medidas tributárias e na área de crédito para ajudar o setor, além de possível redução de tarifa do gás natural

 

O Governo do Rio Grande do Norte anunciou que vai implementar um conjunto de medidas nas áreas de crédito, fiscais e tributárias para amenizar os reflexos das medidas restritivas, no âmbito do controle da pandemia da covid-19, para o setor do turismo, notadamente o segmento de bares e restaurantes. A decisão veio nesta quinta-feira (11) e foi apresentada aos representantes de entidades ligadas ao setor produtivo e da cadeia do turismo, atendendo aos pleitos da categoria apresentados em carta ao Governo. As principais ações serão na área fiscal, entre elas a prorrogação por 90 dias do prazo de vencimento do ICMS para as empresas do setor e a ampliação da validade das certidões negativas por quatro meses – medidas que serão instituídas de imediato por meio de decretos.

 

A reunião virtual contou com a participação de secretários de Estado e representantes das principais instituições ligadas diretamente ao turismo ou que defendem os interesses de pequenas empresas do segmento de bares e restaurantes, entre eles Sebrae, Fecomércio e Natal Convention & Visitors Bureau.

 

A pauta de reivindicações do trade turístico é extensa, inclui solicitações que extrapolam a competência do governo estadual e, por isso, serão avaliadas juntamente com as esferas responsáveis. A maior parte dos pleitos, o Estado já sinalizou de forma positiva e está comprometido em atender, como o adiamento e parcelamento dos tributos estaduais devidos pelas empresas do segmento enquanto durar o período de restrições ao funcionamento.

 

“Infelizmente após um ano de pandemia vivemos dias muito difíceis para quem trabalha, vive e faz turismo, não apenas no Rio Grande do Norte, mas no Brasil e no mundo. O turismo é, inegavelmente, uma das principais cadeias produtivas do nosso estado e prioridade do governo da professora Fátima Bezerra. Esse novo pacote de medidas de incentivo é uma prova do nosso compromisso com a manutenção dos empregos e da economia gerada pela atividade turística”, ressaltou a secretária de Turismo do RN, Ana Maria da Costa.

 

Para as empresas desse ramo que estão inscritas em regime normal, o governo publicará decreto prorrogando o prazo para pagamento do ICMS que venceria agora, em março, para maio. Se o cenário atual da pandemia se alongar ou agravar, a prorrogação dos vencimentos poderá chegar até junho. A medida não se aplica às empresas optantes pelo Simples Nacional, já que a decisão precisa da aprovação do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN), mas a proposta será apresentada e pleiteada nacionalmente junto ao órgão.

 

“Fizemos, ontem, uma articulação junto aos secretários de fazenda de todos os estados para postergar o Simples por 90 dias, conforme ocorreu no ano passado. A proposta do Rio Grande do Norte, específica para o setor de turismo, foi acatada quase unanimemente pelos secretários de Fazenda, mas vai depender do CGSN”, informou o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier. 

 

AVAL DO CONFAZ

 

Para o pedido de postergar por 120 dias os vencimentos de tributos estaduais que estão parcelados e manutenção do Super Refis, o titular da SET-RN explica que essas ações dependem da aprovação por parte do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). “O Governo entende que o pleito é justo, mas não depende apenas da nossa vontade. Nesta sexta-feira, teremos reunião do Confaz e submetemos a proposta e esperamos aprovação.” 

 

A ideia é prorrogar o Super Refis até 31 de maio, medida cujo decreto já será publicado no Diário Oficial desta sexta-feira (12), e também ampliar o prazo dos fatos geradores que, nos termos atuais, limitam-se a débitos contraídos até de 31 de julho do ano passado.  O governo, entretanto, busca aprovação junto ao conselho da inclusão de fatos geradores mais próximos - pelo menos aqueles débitos em aberto até dezembro do ano passado ou, se possível, até março de 2021.

 

Com isso, os contribuintes inadimplentes até esses prazos poderiam também aderir ao Super Refis e receber descontos sobre juros e multas também, além da possibilidade de parcelamento. “Se conseguirmos, teremos de enviar projeto de lei para a Assembleia Legislativa aprovar a alteração no programa”, pontua Carlos Eduardo Xavier. Sobre uma possível redução do ICMS da energia para empresas do setor, ele também adianta que é necessário o aval do órgão nacional.

 

No que se refere à ampliação do prazo para entrega de declarações relativas aos tributos estaduais e a suspensão dos prazos para a prática de atos processuais, o governo diz que é inviável tecnicamente, já que teria de flexibilizar também para os demais contribuintes.

 

TARIFAS PÚBLICAS

 

Durante a reunião, que ocorreu de forma remota e envolveu pelo menos seis pastas do Executivo estadual, os empresários defenderam a redução de tarifas públicas. “A diminuição das tarifas públicas é fundamental para redução de custos operacionais”, defendeu George Costa, da Luck Natal, operadora de receptivo. O empresário se refere basicamente ao custo do gás natural e solicita a inclusão da categoria no programa RN Gás +.  O governo estadual se comprometeu em verificar a possibilidade de ajustes na tarifa do insumo junto à Potigás, com o compromisso de analisar a questão e estudar alguma maneira de atender as demandas apresentadas.

 

Outro pleito relacionado ao crédito, a diretora-presidente da Agência de Fomento (AGN), Márcia Maia, reforçou que a instituição tem disponibilidade de recursos, sobretudo na linha operada do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). A dificuldade que empresas ainda encontram estão mais relacionadas às regras rígidas do sistema financeiro para liberação do recurso do que a disponibilidade de verba em si.

 

Além disso, Márcia Maia frisou as linhas de crédito já existentes voltadas para a cadeia turística. “Mais de R$ 30 milhões foram injetados na economia do estado, investimento quase todo da AGN. Estamos abertos a dialogar com o setor para atender melhor às necessidades dos empreendedores do turismo.”

 

Além já citados, também participaram da reunião, por parte do Estado: Jaime Calado (secretário do Desenvolvimento Econômico), Aldemir Freire (secretário do Planejamento e das Finanças) e Pedro Lima (secretário Adjunto do Planejamento e das Finanças).

 

E representaram o trade turístico do RN: Marcelo Queiroz (Fecomércio RN) e George Costa (Coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio RN); Zeca Melo (Sebrae/RN);, Habib Chalita (Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares); Paolo Passarielo (Abrasel); Abdon Gosson (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis); George Gosson (Natal Convention Bureau); Rútilo Coelho (Mossoró Convention Bureau); Francisco Câmara Júnior (Sindicato das Empresas de Turismo); Michele Pereira (Associação Brasileira dos Agentes de Viagem); José Maria Pinheiro (Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo); Wanderson Borges (Associação dos Hoteleiros de Tibau do Sul e Pipa - Ashtep); Adrianne Cantelli (Abrasel Pipa).

 

FOTO: Fabiano Trindade

Turismo do RN sofre prejuízo de R$ 1,5 bilhão em um ano de pandemia

 

O turismo do Rio Grande do Norte sofreu um prejuízo de R$ 1,5 bilhão no período que compreende abril de 2020 e fevereiro deste ano. O dado foi revelado pela Câmara Empresarial do Turismo (CET), que é vinculada à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN (Fecomercio).

Para se ter uma ideia do que esse dado representa, entre abril de 2019 e fevereiro de 2020, houve uma arrecadação de R$ 2,5 bilhões. O montante apurado entre abril de 2020 e fevereiro deste ano foi de R$ 971 mil.

Para o coordenador da CET, George Costa, são números preocupantes e que mostram a situação real vivida pelo principal setor econômico do RN. “São informações reais e alarmantes”, comentou.

Outro número que mostra o impacto da pandemia no turismo potiguar é o gasto médio por dia do turista. Antes da pandemia, esse valor era de R$ 274,45. Agora, esse número é de R$ 216,41. “De uns tempos pra cá, a quantidade de cancelamentos cresceu e só aumentou o prejuízo acumulado”, disse Costa.

Para o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN), Habib Chalita, o turismo do estado como um todo tem sido muito atingido pela pandemia. “São prejuízos incalculáveis. Empresas fechando, funcionários demitidos, crise. É preciso que o poder público tenha iniciativa com aqueles que tanto contribuem para a economia”, afirmou.

Os representantes do setor têm buscado junto aos Poderes soluções para reerguer o turismo potiguar diante de um quadro tão grave e que já completa um ano sem qualquer solução concreta para o segmento. “É necessário algo urgente sob o risco de termos o principal potencial econômico do estado arruinado”, concluiu Chalita.

IATA: Aumento da confiança evidencia necessidade de planejamento da retomada


 


- A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA - International Air Transport Association) anuncia os resultados de sua última pesquisa, realizada com 4.700 viajantes recentes em mais de 11 países. A pesquisa mostra que os passageiros estão mais confiantes com o retorno às viagens aéreas, aponta a frustração com as atuais restrições de viagens e aceitação de um aplicativo para gerenciar credenciais de saúde para viajar.

Restrições de viagens

• 88% acreditam que, com a reabertura das fronteiras, será posível encontrar um equilíbrio adequado entre a gestão dos riscos da COVID-19 e o retorno da economia.

• 85% acreditam que os governos devem definir metas relacionadas à COVID-19 (como capacidade de teste ou distribuição de vacinas) para reabrir as fronteiras.

• 84% acreditam que a COVID-19 não vai desaparecer, então temos que gerenciar seus riscos enquanto vivemos e viajamos normalmente.

• 68% concordam que sua qualidade de vida sofreu com as restrições de viagens.

• 49% acreditam que as restrições de viagens aéreas foram longe demais.

Embora exista apoio público para as restrições de viagens, está se tornando evidente que as pessoas se sentem mais confortáveis em gerenciar elas próprias os riscos da COVID-19.

As pessoas também estão se sentindo frustradas com a perda da liberdade de viajar, com 68% dos entrevistados indicando que sua qualidade de vida foi prejudicada como resultado. As restrições de viagens trazem consequências sociais, econômicas e para a saúde. Quase 40% dos entrevistados relataram estresse mental e afirmaram ter perdido um momento importante por causa das restrições de viagem. E mais de um terço deles disse que as restrições os impedem de fazer negócios normalmente.

"A principal prioridade de todo mundo neste momento é permanecer seguro em meio à crise da COVID-19. Mas é importante analisar uma forma de reabrir as fronteiras, gerenciar riscos e permitir que as pessoas continuem com suas vidas. Isso inclui a liberdade de viajar. Está ficando claro que precisaremos aprender a viver e viajar pelo mundo mesmo com a COVID-19. Com os custos sociais e econômicos e de saúde resultantes das restrições de viagens, as companhias aéreas devem estar prontas para reconectar o mundo assim que os governos puderem reabrir as fronteiras. É por isso que um plano com etapas mensuráveis é tão importante. Sem esse plano, como podemos estar preparados para reiniciar as atividades sem atrasos desnecessários?", disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

Tendências para o futuro das viagens

• 57% esperam viajar nos dois meses após a contenção da pandemia (melhora em relação à taxa de 49% registrada em setembro de 2020).

• 72% querem viajar para ver familiares e amigos o mais rápido possível (melhora em relação à taxa de 63% de setembro de 2020).

• 81% acreditam que a probabilidade de viajar será maior assim que forem vacinados.

• 84% disseram que não viajarão se houver possibilidade de quarentena no destino (praticamente sem mudança em relação à taxa de 83% de setembro de 2020).

• 56% acreditam que irão adiar as viagens até que a economia se estabilize (melhora em relação à taxa de 65% de setembro de 2020).

As respostas da pesquisa mostram que a confiança das pessoas está aumentando em relação ao retorno às viagens. As pessoas que esperam viajar nos dois meses após a "contenção da COVID-19" agora representam 57% dos entrevistados (aumento em relação aos 49% de setembro de 2020). Esse aumento se deve ao surgimento da vacina, pois 81% das pessoas estarão mais propensas a viajar depois de vacinadas. Além disso, 72% dos entrevistados querem viajar o mais rápido possível após a contenção da COVID-19 para ver amigos e familiares.

Contudo, existem alguns obstáculos nas tendências de viagens. Cerca de 84% dos entrevistados não viajarão se houver quarentena no destino. E ainda há indicações de que a retomada das viagens de negócios levará tempo, pois 62% dos entrevistados afirmaram que provavelmente viajarão menos a negócios, mesmo depois que o vírus estiver sob controle. Porém, esse número teve melhoria significativa em relação aos 72% registrados em setembro de 2020.

"As pessoas querem voltar a viajar, mas a quarentena é um obstáculo. Com as melhorias na capacidade e tecnologia de teste e o avanço no número de pessoas vacinadas, estão sendo criadas as condições para eliminar a quarentena. E isso nos aponta novamente para o trabalho com os governos visando à reabertura bem planejada assim que as condições permitirem", disse de Juniac.

IATA Travel Pass

• 89% dos entrevistados acreditam que os governos devem padronizar os certificados de vacinação e teste da COVID-19.

• 80% ficaram animados com a apresentação do aplicativo IATA Travel Pass e o usariam assim que disponível.

• 78% só usarão um aplicativo de credenciais de saúde para viagens se tiverem controle total dos seus dados.

As credenciais de saúde para viagens já estão abrindo as fronteiras de alguns países. A IATA acredita que esse sistema precisa de padrões globais e do mais alto nível de segurança de dados.

A pesquisa produziu dados muito animadores, indicando a disposição do viajante de usar um aplicativo móvel seguro para gerenciar suas credenciais de saúde em viagens. Quatro em cada cinco pessoas pesquisadas gostariam de usar essa tecnologia assim que estiver disponível. Elas também esperam que as credenciais de saúde para viagens (atestados de vacina ou teste) estejam em conformidade com os padrões globais - um trabalho dos governos que ainda está em andamento.

Os entrevistados da pesquisa também deixaram claro que se preocupam com a segurança dos dados. Cerca de 78% dos viajantes não usarão um aplicativo de credenciais de saúde se não tiverem controle total de seus dados. E cerca de 60% não usarão o aplicativo se os dados forem armazenados centralmente.

"Estamos desenvolvendo o IATA Travel Pass pensando nos viajantes. Os passageiros mantêm todos os dados em seus dispositivos móveis e têm controle total sobre o destino desses dados. Não existe um banco de dados central. Estamos fazendo um bom progresso com vários testes, mas ainda aguardamos os padrões globais para atestados digitais de teste e vacinação. Somente com os padrões globais e sua aceitação por parte dos governos é que poderemos maximizar a eficiência e fornecer a experiência de viagem ideal", disse de Juniac.

Leia os comentários de Alexandre de Juniac
Veja a Pesquisa realizada em 22 países sobre as respostas de viajantes à COVID-19
Veja a apresentação das atualizações dos testes com o IATA Travel Pass


 


 


• No total, 4.700 entrevistas foram realizadas online em 11 mercados entre 15 e 23 de fevereiro de 2021.

• O tamanho da amostra foi de 500 participantes nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Índia e Austrália. No Chile, Japão, Emirados Árabes Unidos e Cingapura, o tamanho da amostra foi de 300 participantes.

• Para participar da pesquisa, os entrevistados tinham que feito uma viagem de avião nos últimos 11 meses.

• A Rockland Dutton Research & Consulting elaborou o questionário e fez a análise e contratou a Dynata para a coleta e tabulação dos dados.

• A IATA (International Air Transport Association) representa cerca de 290 companhias aéreas, que compõem 82% do tráfego aéreo global.

• Siga-nos no Twitter: https://twitter.com/iata para verificar anúncios, posicionamentos e outras informações úteis sobre o setor.


 

Sobre a IATA
 

A IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo) representa cerca de 290 empresas aéreas que abrangem 82% do tráfego aéreo global. Para mais informações sobre a IATA visite www.iata.org.

ABAV seleciona perfil  de compradores para capacitações e rodadas do Match

 

 

Evento virtual será realizado nos dias 11 e 12 de maio abrindo o calendário anual da entidade


O calendário de eventos da ABAV Nacional ganha este ano um reforço com uma programação de capacitações e rodadas de negócios virtuais que acontecerão nos dias 11 e 12 de maio. A prospecção de fornecedores do ABAV Match Business foi iniciada esta semana e a inscrição de compradores convidados deve abrir na segunda quinzena do mês, já com o detalhamento do perfil do público-alvo.

Idealizado com o objetivo de compor a prateleira de serviços, produtos e destinos nacionais e internacionais e impulsionar os negócios do setor ainda no primeiro semestre do ano, o evento aposta na seleção de audiência especializada e na dinâmica de capacitações e rodadas de negócios que passarão por um filtro prévio da organização para identificar o match perfeito consoante áreas de atuação e interesses dos participantes.

Cada capacitação terá a duração de 40 minutos, seguida de 60 minutos de rodadas de negócios. A expectativa da organização é estimular até seis reuniões por rodada, de forma a ampliar ao máximo as chances de assertividade nas negociações.

O evento também possibilitará oportunidades de empresas ou marcas participarem como patrocinadoras dos treinamentos e capacitações oferecidos na programação, estendidas igualmente às rodadas de negócios.

A programação de capacitações e treinamentos e os critérios para a seleção dos compradores deverão ser anunciados em breve, mas os interessados já podem antecipar uma consulta sobre os modelos de participação disponíveis pelo e-mail atendimento@abav.com.br ou telefone (11) 94307-9688.

O luxo campestre do Alentejo

 

 

Região portuguesa conta com hotéis de primeira categoria em meio ao campo

 

Não há nada como se hospedar em um hotel de luxo e curtir muito conforto e todas as mordomias possíveis em um local projetado para o seu bem-estar. E o Alentejo, a maior região de Portugal, conta com muitas opções de hospedagem desse tipo. Entre as mais icônicas estão aquelas situadas em meio ao campo, integradas à natureza e à tranquilidade tão inerentes ao Alentejo.

Confira alguns desses hotéis mais que especiais:

Herdade dos Delgados
À beira do lago Alqueva e próximo à fronteira espanhola fica a Herdade dos Delgados. Está situada em meio na Reserva Dark Sky, um espaço do território alentejano com perfeitas condições para observar o céu estrelado, já que possui pouquíssima poluição luminosa. A vontade de ficar do lado de fora observando as estrelas o tempo todo só não é maior que a vontade de curtir os quartos muito confortáveis. Além do delicioso restaurante de gastronomia alentejana, o hotel tem piscina de água salgada com vista panorâmica para o lago e uma excelente área wellness com piscina, jacuzzi e tratamentos. https://www.herdadedosdelgados.pt/

Herdade da Malhadinha Nova
Outra ótima opção, este hotel fica em Albernoa, ao sul de Beja. Seu grande diferencial é cruzar um ar contemporâneo com a ruralidade típica do Alentejo e suas tradições ancestrais, o que resulta em um hotel singular, moderno e muito charmoso. Cada opção de quarto, suíte ou villa é único, e a propriedade ainda tem sua própria vinícola, restaurante e spa. Hóspedes podem desfrutar de experiências variadas, como trilhas, provas de chá, arco e flecha, workshops de gastronomia, pesca, provas de vinhos, passeios a cavalo, piqueniques gourmet, aulas de ioga e até caça ao tesouro para as crianças. https://www.malhadinhanova.pt/

Torre de Palma Wine Hotel
Este hotel foi projetado para ser a sua casa no Alentejo. Localizado ao leste da região, é marcado pela simplicidade e sofisticação, com uma arquitetura de autor extremamente acolhedora. Os quartos são temáticos e diferentes entre si, mas têm em comum a decoração única de Rosarinho Gabriel, que recuperou diversas peças de mobiliário antigas. Também conta com spa, piscina e restaurante, e os hóspedes podem fazer workshops de agricultura, passeios de balão, piqueniques, caminhadas, passeios de bicicleta, observação de estrelas e muitas atividades com os cavalos da propriedade, desde passeios até aulas e workshopshttps://www.torredepalma.com/

São Lourenço do Barrocal
Charmosa e elegante, a herdade de São Lourenço do Barrocal está nas mãos de uma família tipicamente alentejana há oito gerações – desde 1820. A propriedade fica próxima a Monsaraz e tem 780 hectares, que incluem hotel, restaurante, vinícola, spa e até loja. Além dos quartos no hotel principal, há casas separadas para alugar, com amplas áreas de estar e cozinhas equipadas para quem quiser um pouco mais de privacidade e contato com a natureza nas férias. O Barrocal encanta pelo visual, pela riqueza paisagística, pelo conforto e pela proximidade com a essência do Alentejo. A herdade ainda trabalha com long stays, para quem quer aproveitar a região por duas semanas ou até um mês curtindo o hotel. https://barrocal.pt/

Herdade da Matinha
A Herdade da Matinha apresenta luxo sem deixar de lado sua alma simples. Fica na Costa Alentejana, em Cercal do Alentejo, em meio a milhares de pinheiros, com uma paisagem única. Possui 22 quartos de decoração singular e personalizada, e aposta na tranquilidade e no silêncio que só o Alentejo pode oferecer. Com turismo criativo e experiencial, garante atividades como retiros de ioga, aulas de pilates, passeios a cavalo, massagens no spa, piqueniques, caminhadas, experiências na horta biológica e mais. https://www.herdadedamatinha.com/

 

Sobre o Alentejo

Considerado o destino mais genuíno de Portugal, o Alentejo é a maior região do país. Privilegiando um lifestyle tranquilo em que a experiência de viver bem dá o tom, conta com belas praias intocadas e cidades repletas de atrações ímpares, como castelos e monumentos históricos. Detentor de cinco títulos da UNESCO e diversos outros prêmios e reconhecimentos internacionais no setor do turismo, o Alentejo oferece opções para todos os tipos de viajantes, sejam famílias, casais em lua de mel ou aventureiros. A promoção turística internacional do Alentejo é co-financiada pelo Alentejo 2020, Portugal 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Para mais informações, visite www.turismodoalentejo.com.br.

Japão: além das cerejeiras, a primavera no país encanta com flores e cores varia

 

Ameixeiras, glicínias e nemophilas colorem o arquipélago. Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) indica os melhores locais para apreciar as flores

 - A primavera é um dos períodos mais aguardados no Japão. Com a chegada da estação, em março, o clima começa a esquentar e as flores desabrocham decorando as paisagens com cores variadas. Do final de fevereiro até junho, é tradição no país passear pelas ruas e visitar parques para apreciar o clima que começa a esquentar gradualmente, do sul ao norte, e contemplar as flores. 

A mais conhecida é a cerejeira em flor, ou sakura, um dos símbolos do Japão e a tradição de admirá-la é chamada de hanami, que literalmente significa observar as flores. Porém, a primavera no arquipélago tem muito mais a oferecer. Durante a estação é possível contemplar, ainda, a florada das ameixeiras (ume), glicínias (fuji) e nemophilas. A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) apresenta a variedade de cores da primavera japonesa e os melhores locais para admirar a beleza das flores. 


Ume: o anúncio da primavera 

Assim como a sakura, as ameixeiras também são muito apreciadas no Japão. O desabrochar da ume, também chamado de baika, no final de fevereiro e em meados de março, anuncia a transição do inverno para a primavera. As flores são símbolos de perseverança e superação, já que não são afetadas pela neve, ainda presente em algumas regiões do arquipélago no fim de fevereiro. As ameixeiras variam em tons de rosa, são conhecidas pelo seu perfume e pelo contraste com a paisagem nessa época do ano.

A província de Ibaraki  é famosa pelo desabrochar da ume. Na região, é realizado, entre o final de fevereiro e o final de março, o Festival das Ameixeiras de Mito, em Kairakuen, um dos maiores eventos ao leste do arquipélago. Considerado um dos três grandes jardins do Japão, o local é lar de 3.000 ameixeiras. Durante o festival, o parque oferece visitas guiadas ao jardim, feiras de plantas, apresentações musicais com instrumentos tradicionais japoneses e um passeio noturno guiado para apreciar as flores à luz de velas junto a um show de fogos de artifício. 

Em Fukuoka, na província de mesmo nome, um lugar especial para contemplar o ume e vivenciar a cultura tradicional japonesa é o Templo Bairinji, do século XVII. O jardim externo desse local sagrado é famoso por ter mais de quinhentas ameixeiras. Os visitantes podem saborear uma xícara de chá e doces sob as árvores floridas. O templo budista guarda ainda uma coleção de bens culturais como o pergaminho de seda dos três budas e uma tela do Monte Fuji pintada por Ogata Korin, um famoso pintor da Era Edo. 


Sakura: o símbolo do Japão

As flores mais famosas do Japão começam a aparecer na região mais ao sul do arquipélago, na ilha de Kyushu, em meados de março e gradualmente se espalham para o norte, colorindo o território de tons rosados e brancos até Hokkaido, em abril. A florada das cerejeiras é um marco no ano dos japoneses e tem um significado especial: tudo o que é bom, dura pouco. As flores nascem apenas uma vez por ano e as árvores ficam carregadas delas por cinco ou sete dias. Por isso, é comum no Japão, a celebração desta época com festivais, piqueniques e passeios longos com a família e amigos pelos parques. 

Um dos lugares mais belos para admirar a sakura é em Yoshino, na província de Nara. É lá que se encontra o Monte Yoshino, com mais de 30 mil árvores de cerejeiras. Uma trilha que passa pelos pequenos vilarejos da montanha e milhares de flores levam ao topo  para uma vista panorâmica. Outro destaque são os festivais de cerejeira em flor, que se espalham pelo país durante a primavera. Em Hirosaki, na província de Aomori, acontece o Festival das Cerejeiras em Flor do Parque Hirosaki. No local, é possível encontrar umas das sakuras mais antigas do Japão, plantada em 1882, passear pelo túnel de flores, assistir a performances com música e apreciar a iluminação noturna. 


Fuji: cascatas em tons violeta 

As cascastas de flores das glicínias se destacam também na primavera japonesa. As flores em tons de violeta desabrocham em meados de abril e início de maio e também se espalham pelo arquipélago colorindo a paisagem. A fuji é longa, pode ter cerca de 20 cm a 80 cm de comprimento, e se desenvolve em treliças e sobre as copas das árvores. 

Um lugar famoso para admirar essas flores é o Jardim das Glicínias de Kawachi Fujien, nas colinas ao sul de Kitakyushu, na província de Fukuoka. O jardim possui dois túneis de glicínias com cem metros de comprimento e um conjunto de árvores que formam uma enorme cúpula lilás. O jardim oferece uma experiência para lá de exclusiva no Japão, pois abre para visitação apenas duas vezes por ano, na primavera e no outono.

As glicínias também são famosas no Santuário Kameido Tenjin, em Tóquio. O local sagrado é conhecido como "santuário das flores" e é considerado o melhor para admirar a fuji na capital. Entre o final de abril e o início de maio, mais de cem glicínias desabrocham durante o Festival de Glicínias do santuário. As flores decoram o entorno da lagoa de tartarugas no local e garantem a paisagem perfeita para a fotografia.


Nemophilas: um mar azul de flores 

As nemophilas proporcionam um espetáculo à parte no Japão durante a primavera. A flor rasteira em tons de azul intenso com o miolo branco floresce pelos campos e nos parques do país.

O local mais conhecido para admirar as nemophilas é o Parque Hitachi Seaside, localizado em Hitachinaka, na província de Ibaraki. O local possui 200 hectares e uma grande variedade de flores que decoram a área o ano todo. Mas, é durante a primavera, entre final de abril e meados de maio, que surge o mar azul das nemophilas. Mais de quatro milhões de flores desabrocham na colina Miharashi, o ponto mais alto da cidade, em uma área a perder de vista que se mistura com o azul do céu da estação e do mar que está próximo.  O parque possui boa estrutura, mais variedade de  flores e diversas atrações. É possível admirar as tulipas e narcisos, se aventurar no parque de diversões e nas trilhas para bicicleta.


Mais sobre a primavera no Japão

A primavera no Japão vai de março a maio. Durante a estação todo o conjunto de ilhas japonesas fica movimentado com festivais e há muitas coisas bonitas para ver, bem como deliciosas iguarias sazonais para experimentar. A temperatura em geral é amena, entre 13 e 23 graus celsius, mas varia de acordo com o mês e região. O sul do arquipélago, por exemplo, começa a esquentar já no fim de fevereiro, enquanto no norte ainda está frio e com possibilidade de neve. É importante consultar a previsão do tempo para preparar a mala. 

As cerejeiras são a principal atração e é muito fácil encontrar calendários com a previsão da floração de acordo com cada região do país. As flores inspiram também a gastronomia local e durante a primavera é possível encontrar doces japoneses com sabor de sakura, sorvetes e até chocolates. Outros alimentos em alta são brotos de bambu, algas macias, os mariscos e muitas variedades de morangos.


Informações de viagem

É durante a primavera, no final de abril, que acontece a “Semana Dourada", um dos principais e mais longos feriados do Japão, sendo um período de pico para viajar pelo país, com voos, trens e hotéis cheios. É importante consultar o calendário japonês para escolher a melhor época para viajar. 

Além disso, devido à pandemia, as restrições de viagem estão mudando continuamente e se adaptarão conforme a situação evolui globalmente. A JNTO recomenda visitar seu site para obter as últimas notícias sobre o Japão e as restrições de viagens relacionadas à Covid-19. Acesse: https://www.japan.travel/en/coronavirus/.

Blogs


Clique aqui e receba nossas notícias gratuitamente!