Turismo & Negócios

Site europeu de aluguel de barcos chega ao Brasil

Site europeu de aluguel de barcos chega ao Brasil

 
 

Com locações a partir de R$ 500, Nautal oferece mais de 200 opções de embarcações em 27 cidades

 

A costa brasileira ostenta algumas das praias mais belas do mapa e atrai turistas e navegantes de diversas partes do país e do mundo. De olho no potencial do setor náutico tupiniquim, a plataforma europeia de locação de barcos Nautal (www.nautal.com.br) cruzou o Atlântico, com o objetivo de oferecer uma experiência desburocratizada e democrática a esses viajantes. O negócio disponibiliza de pequenas a grandes embarcações em 27 cidades espalhadas pelo Brasil, com aluguéis a partir de R$ 500.

Criado em 2013, o marketplace disponibiliza cerca de 26 mil embarcações em mais de 60 países, e, em 2 meses em funcionamento no Brasil, já conta com mais de 200. Por meio de um processo 100% on-line, o usuário pode escolher desde um jet ski para se divertir sem se afastar da costa, passando por uma lancha que garanta o passeio pelas ilhas locais, até um iate com um alto padrão de curtição. “A locação pode ser feita por meio período, diária ou semanal, para melhor se adequar às necessidades dos interessados”, afirma Roger Llovet, Diretor de Operações da Nautal. A empresa também conta com assessores náuticos multilíngue, para ajudar o consumidor a buscar o barco e destino ideais.

Entre os destinos mais populares para desfrutar uma experiência em alto-mar estão Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Ilhabela, Guarujá e Florianópolis. Ao alugar um barco na plataforma, é importante se atentar aos pré-requisitos definidos pelo proprietário da embarcação, como a inclusão ou ausência dos serviços de marinheiro. “Há aluguéis que podem ser feitos sem a contratação do profissional, para quem tem habilitação náutica. Mas, é interessante considerar a familiaridade em relação ao espaço e às condições climáticas da região, uma vez que o marinheiro pode trazer dicas preciosas para tornar a experiência ainda melhor”, lembra Llovet.

Tour gastronômico pela Itália revela verdadeira culinária local

Tour gastronômico pela Itália revela verdadeira culinária local

Falcor Travels une curso ministrado por chefs nativos com imersão na cultura italiana em Roma, Lazio e Abruzzo

 

A culinária italiana é uma das queridinhas no Brasil, mas vai além do molho de tomate e das massas. Delícias como Fiori di Zucca, Spaghetti alla Carbonara e Crostata alla Ricotta são alguns dos pratos típicos cujas receitas e truques são guardados pelos chefs locais. Para desvendar os mistérios, a Falcor Travels (www.falcortravels.com/curso-culinaria-italiana-tour) oferece aos brasileiros a chance de aprender e cozinhar a la MasterChef, com especialistas da Itália em uma vivência in loco, que une a cultura e a história de cada região. 

Cozinheiros, apaixonados por comida, bons de garfo e até mesmo turistas que buscam uma experiência diferente podem participar da sétima edição do curso “Culinária Italiana de A a Z”, que tem o apoio da associação italiana Italia Multiculturale. “Os alunos fazem um intercâmbio gastronômico, com imersão no contexto histórico de lugares que sobreviveram à Segunda Guerra Mundial e deram origem à civilização moderna. Eles aprendem a cozinhar com chefs especializados, além de degustarem pratos não conhecidos no Brasil”, diz Ercília Marques, fundadora da Falcor. 

Fazer o tão elaborado Fiori di Zucca, aperitivo popular a base de flor de abobrinha, mozzarela e alici, se tornará tarefa fácil para os cozinheiros depois de conhecerem desde a oliveira que fornece o azeite para finalizar o prato, até o local de produção do queijo que dá o toque especial à refeição. Os turistas também aprimorarão as técnicas para o cozimento da clássica lasanha, com os tomates recém-colhidos que dão origem a um molho digno do “Fare la scarpetta”, ato tradicional de “limpar” o prato com um pedaço de pão. Alimentos que são patrimônio cultural e gastronômico de Roma, como a famosa Carbonara, Cacio e Pepe e La Amatriciana também estão inclusos para degustação. 

Os alunos desfrutam de almoços em localidades próximas a monumentos como a Villa Adriana em Tivoli, onde o imperador Adriano recebia seus convidados egípcios em sua casa de veraneio no século II, e Roviano na região de Lácio, local povoado por hebreus na antiguidade onde a manufatura das massas e presuntos acontece. Museus tradicionais como o Coliseu e os Fóruns Imperiais também estão inseridos no pacote oferecido pela Falcor Travels. 

Além da capital, vilarejos do período Neolítico como Monticelio e a região de Abruzzo fazem parte do itinerário proposto. “Exploramos desde pontos turísticos mais conhecidos como a Fontana di Trevi até lugares não tão famosos, mas com uma memória e autenticidade tão rica quanto”, afirma a fundadora.

O contato com a história e a técnica dos nativos gera frutos para brasileiros ao retornarem. “Após a experiência que oferecemos, os participantes voltam para o Brasil com uma carga cultural maior do que qualquer outra viagem para Itália. E alguns decidem abrir o seu próprio negócio e investir na culinária típica e diferenciada que tiveram acesso”, comenta Ercília. 

O curso tem carga horária de 20 horas e acontecerá no período de 7 a 14 de setembro. Está incluso no pacote todo o trajeto terrestre, transfer, estadia, refeições e os ingressos para os museus previstos.

 

 

 


Sobre a Falcor Travels 
Agência de viagens nacionais e internacionais que oferece intercâmbios, passagens aéreas, cursos diferenciados e hospedagens. Criada há mais de 10 anos, possui escritórios nas cidades de Ipojuca e Roma www.falcortravels.com.

 

O futuro do Open Banking no Brasil

 

*Por Victor Rodriguez e Stefan Wysocki, gerente executivo sênior e consultor sênior da Minsait, uma empresa Indra, no Brasil

O termo Open Banking tem se tornado cada vez mais popular. Discussões a respeito das oportunidades e consequências que esse novo tipo de negócio traz para empresas e consumidores estão por todos os lados e, diante de tantos argumentos e pontos de vista variados, não é difícil que este conceito gere confusão.

Questões como “os bancos tradicionais irão perder espaço?”, “que players farão parte dessa nova tendência?” e “o que de fato significa open banking?” são comuns. Esclarecê-las é fundamental para garantir o pleno entendimento dos conceitos e o consequente desenvolvimento desse novo modelo que se apresenta e deve se consolidar nos próximos anos.

Voltando um pouco no tempo, é interessante observar como esse termo ganhou espaço ao redor do globo. Na Europa, foi impulsionado pela regulamentação (o número de APIs expostas era praticamente inexistente em 2015 e cresceu exponencialmente desde 2016, quando os esboços do escopo da regulação europeia começaram a ser publicados). Já nos EUA, cresceu foi impulsionado a partir de uma necessidade dos participantes (do mercado) e, atualmente, está em discussão com órgãos reguladores como determinar alguns padrões de comunicação entre as empresas.

Saindo da história e partindo para os termos práticos do que esse termo significa, é necessário lembrar que Open Banking não deve ser confundido com banco digital. O primeiro é um conceito muito mais amplo, ligado às regulações criadas para que as instituições financeiras permitam aos seus clientes compartilharem seus próprios dados com terceiros. Isso é possível por meio de interfaces de programação de aplicativos ou APIs – padrões cujo foco é permitir que o software de uma empresa tenha acesso a informações de outra.

Esclarecida a diferença, é necessário partir para um segundo raciocínio: o papel do Open Banking na sociedade atual. Embora ele não acabe com o sistema bancário tradicional, é inegável que ele dará aos clientes mais poder para mudar de empresa e escolher produtos, o que significa que os bancos enfrentarão mais concorrência não só de concorrentes tradicionais, como também de novos entrantes como gigantes de tecnologia e fintechs.

Isso não quer dizer que o Open Banking, isoladamente, seja capaz de aumentar a inclusão financeira. Ele é parte de uma transformação ampla que inclui ações claras e direcionadas do governo, agentes reguladores e empresas, sendo estas últimas responsáveis por proporcionar produtos e serviços financeiros customizados e direcionados para este segmento da população brasileira.

Respondidos estes pontos, espera-se que, com o Open Banking, os bancos sejam capazes de competir pela experiência do cliente, o que significa que os players estabelecidos deverão fazer um esforço no sentido de melhorá-la e adotar a inovação. Em vez de representar uma ‘sentença de morte’ para os bancos, o Open Banking representa uma oportunidade para inovar e transformar os principais serviços e produtos existentes hoje.

Ações nesse sentido já estão em prática. Um importante banco do país, por exemplo, lançou um portal que concentra as APIs de alguns dados que a instituição possui e os fornece aos desenvolvedores de aplicativos, que, por sua vez, vão colaborar com a criação de produtos financeiros ainda melhores, mais competitivos e personalizados.

Com mais dados e informações, consequentemente teremos um aumento na responsabilidade dos custodiantes das informações. Dessa maneira, o Banco Central deve criar requisitos e padrões que diminuam fortemente o risco de vazamento de dados. Além disso, as empresas devem buscar cada vez mais criar estratégias de cibersegurança e o próprio governo criou leis como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) para garantir que o consumidor não tenha informações sensíveis obtidas por terceiros não autorizados.

Um exemplo claro desse movimento é a regulação da União Europeia, o PSD2, que definiu uma série de requisitos mínimos para os participantes que estiverem interessados em abrir seus dados. Algumas dessas exigências incluem processos rigorosos de autenticação de clientes, padrões de segurança com base em melhores práticas internacionais e níveis mínimos de tempo para entrega dos dados entre as empresas, por exemplo.

O impacto disso para o mercado brasileiro está cada vez mais próximo: recentemente, o Banco Central divulgou um comunicado N° 33.455 com os requisitos fundamentais para a implantação do Open Banking. Segundo o comunicado, os dados a serem compartilhados serão relativos a produtos e serviços, dados cadastrais, dados transacionais e serviços de pagamento. Essas informações deverão ser compartilhadas pelas instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central, sempre com o consentimento do cliente. A expectativa é que o modelo de Open Banking seja implementado a partir do segundo semestre de 2020.

Estar preparado para o Open Banking é uma premissa fundamental para todas as instituições financeiras do país. Mais do que um avanço, essa nova tecnologia representa uma nova forma de se relacionar com clientes, transformando todo o setor.

Sobre a Minsait

A Minsait, uma empresa da Indra (www.minsait.com), é a companhia líder em Consultoria de Transformação Digital e Tecnologias da Informação na Espanha e na América Latina. A Minsait apresenta um alto grau de especialização e conhecimento setorial, o que complementa sua alta capacidade de integrar o mundo core com o mundo digital, sua liderança em inovação e transformação digital e sua flexibilidade. Assim, concentra sua oferta em propostas de valor de alto impacto, baseadas em soluções end-to-end, com uma notável segmentação, que permite atingir impactos tangíveis para seus clientes em cada setor com uma abordagem transformacional. Suas capacidades e liderança são mostradas em sua oferta de produtos, denominada Onesait, e sua oferta transversal de serviços.

Sobre a Indra

A Indra (www.indracompany.com) é uma das principais empresas globais de tecnologia e consultoria e parceira de tecnologia para as principais operações dos negócios de seus clientes em todo o mundo. É um fornecedor líder global de soluções próprias em segmentos específicos dos mercados de Transporte e Defesa. Também, é a empresa líder em Consultoria de Transformação Digital e Tecnologias da Informação na Espanha e na América Latina, através de sua subsidiária Minsait. Seu modelo de negócios é baseado em uma oferta abrangente de seus próprios produtos, com uma abordagem end-to-end, de alto valor e com um alto componente de inovação. No ano fiscal de 2018, a receita da Indra foi de 3.104 milhões de euros, conta com 43.000 colaboradores, está presente em 46 países e operações comerciais em mais de 140 países.


 

APRIL Brasil é a seguradora oficial do Fórum de Turismo LGBT

 

Com data marcada para 6 de junho, evento é o maior do segmento no país

 

A APRIL Brasil Seguro Viagem anunciou uma nova ação voltada para o trade de turismo. A empresa será a seguradora oficial do Fórum de Turismo LGBT do Brasil, que acontece no dia 6 de junho e deve reunir cerca de 300 pessoas em São Paulo.

O evento visa capacitar os profissionais de turismo, ampliar seu atendimento e desenvolver produtos que atendam às demandas do segmento de maneira qualificada por meio de palestras. É a primeira vez que a APRIL Brasil apoia o Fórum.

“Esta é uma oportunidade excelente para o mercado de turismo, e uma das maneiras de nos mantermos próximos dos agentes de viagem e prestadores de serviços do trade, que são de suma importância para o sucesso do nosso negócio”, afirma Claudia Brito, diretora comercial da APRIL Brasil Seguro Viagem.

O Fórum de Turismo LGBT do Brasil está em sua terceira edição e ocorre todo ano em junho, mês em que se celebra o Orgulho LGBT.

 

Sobre a APRIL Brasil Seguro Viagem

A APRIL Brasil Seguro Viagem, uma subsidiária do Grupo APRIL, desenvolve, distribui e administra soluções em seguros e assistências em viagem no Brasil e no mundo. Não importa o tipo de viajante, o estilo ou a duração da viagem, a equipe de mais de 200 membros da APRIL Brasil Seguro Viagem e sua rede de mais de 60 mil prestadores de assistência, nacionais e internacionais, trabalham 24 horas por dia para auxiliar em situações de emergência, com o objetivo de tornar a experiência em viagem muito mais tranquila para seus passageiros. Para mais informações, acesse www.aprilbrasil.com.br.

Sobre o Grupo APRIL

Criada em 1988, a APRIL é um grupo internacional de serviços de seguros desenvolvendo a atividade em 31 países na Europa, América, Ásia, África e Oriente Médio, e é líder dos corretores na França. Cotado na Euronext Paris, o grupo realizou, em 2017, um volume de negócios de 928,4 milhões de euros. Seus 3.800 colaboradores criam, administram e distribuem soluções especializadas de seguros (vida, saúde previdência, danos, mobilidade e proteção jurídica), bem como a prestação de assistência a particulares, profissionais e empresas, guiando a ambição da APRIL: tornar os seguros mais simples e mais acessíveis a todos. Impulsionado por uma forte cultura empresarial, o grupo pretende propor a seus clientes uma experiência com seguros mais fácil através de produtos e serviços adaptados, e com uma relação personalizada. www.april.com.

São João de Natal terá grandes atrações como Roberto do Acordeon

São João de Natal terá grandes atrações como Roberto do Acordeon

O presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Paulinho Freire (PSDB), participou na manhã desta quarta-feira (29), juntamente com os vereadores Dickson Júnior (PSDB), Ary Gomes (PDT), Aroldo Alves (PSDB), Robson Carvalho (PMB), Sueldo Medeiros (PHS), Felipe Alves (MDB) e Kleber Fernandes (PDT), do lançamento da programação do São João 2019 em Natal e destacou que a cidade deverá ter um São João de referência no país, se continuar com a mesma atenção voltada para o evento.

"Natal é uma cidade turística, mas é um turismo sazonal que sobrevive por poucos meses no ano. Só o turismo de eventos pode cobrir essa lacuna nos outros meses. Devido à essência cultural do São João, não podíamos ficar de fora e a sensibilidade do prefeito, que teve a feliz ideia de reforçar os festejos na cidade, a realização do evento é como uma semente para Natal vir a ter um São João de referência no país", disse Paulinho, destacando a valorização dos grupos e quadrilhas juninas que acontece junto com a realização da festa.

O São João em Natal será realizado nas quatro zonas da cidade, com grandes shows musicais a partir da próxima sexta-feira (31) no polo zona Norte, cujo palco será montado na Avenida Itapetinga. Lá serão seis noites de shows em dois fins de semana, terminando no dia 9 de junho. As apresentações contam com as bandas Grafith, Circuito Musical, Rita de Cássia, Eliane, papel Gomes, Última Hora, Montagem, dentre outros. Neste mesmo período haverá shows paralelos na zona Oeste (Palco cidade da Esperança) e zona Leste (Funcarte).

De 14 a de 16 de junho acontece o festival de música autoral Forraço, no Ginásio Nélio Dias (zona Norte), mesmo local onde ocorrerá de 13 a 16 o festival de quadrilhas juninas, que segue na Arena das Dunas de 18 a 24. Os shows musicais na Arena das Dunas começam dia 12 de junho e seguem até o dia 16. Entre as atrações estão Zezé de Camargo e Luciano, Xandy Avião, banda Garota Safada e Cavaleiros do Forró, além da dupla Simone e Simaria e de artistas locais como Forró Meirão, Zé Hilton do Acordeon. Dentro da programação na Arena, acontece ainda, de 12 a 24 de junho, o Circuito Gastronômico de Natal. Nas Rocas, zona Leste, tem palco com shows nos dias 21 e 22.

Para o Prefeito Álvaro Dias, a intenção é realizar o maior São João de Natal, movimentando a economia, valorizando a cultura local e proporcionando lazer e entretenimento à população. "O São João, por ser uma festa popular, democrática e tradicional, faz parte da nossa cultura e desperta interesse e apoio popular. Estamos preparando tudo para que seja uma festa que venha a se transformar numa grande tradição na nossa cidade", destacou.

MD abre seleção para residentes de TI junto ao Tribunal de Contas do Estado

 

O Instituto Metrópole Digital, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (IMD/UFRN), publicou hoje (28) processo seletivo para o Programa de Residência em Tecnologia da Informação (TI) com atuação junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN).

A seleção prevê contratação de 12 profissionais, sendo oito para a área de desenvolvimento de software e quatro para atuação em business intelligence e analytics. Os aprovados receberão bolsa de 2 mil reais, com carga horária semanal de 30 horas.

Além das vagas já previstas, o edital também aponta a possibilidade de convocação de mais cinco candidatos, que atuarão diretamente com a Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) do IMD para desenvolvimento de projetos.

Com duas horas de duração, a prova reunirá 30 questões sobre de conhecimentos específicos. A seleção acontecerá no dia 16 de junho, no Centro Integrado de Vocação Tecnológica (CIVT) do IMD, localizado na Avenida Cap. Mor Gouveia, nº 3000.

Para se inscrever, os interessados deverão preencher o formulário disponível na aba “Pós-Graduação” do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) da UFRN, além de pagar uma taxa de 100 reais. O prazo de inscrição começa amanhã (29) e segue até o dia 09 de junho.

Para saber mais informações, acesse o LINK e leia o edital na íntegra.

A residência

Primeira pós-graduação no formato de residência em TI do Estado, o programa oferece aos participantes a possibilidade de se especializar em uma área específica da tecnologia e trabalhar na criação de um projeto especializado.

A residência tem duração de 18 meses e hoje conta com quatro turmas em andamento, que atuam principalmente em entidades do Poder Judiciário, como TCE, Tribunal de Justiça e Justiça Federal, além do Núcleo de Pesquisas em Alimentos e Medicamentos (Nuplam) da UFRN.

 

Blogs


Clique aqui e receba nossas notícias gratuitamente!