As ações da Petrobras negociadas na bolsa de Frankfurt, uma das mais importantes da Europa, afundam no pregão desta sexta-feira, 19, e dão o tom de como está o humor do mercado com a estatal brasileira. Os papéis chegaram a cair 5,5%.

Na pré-abertura do mercado em Nova York, os papéis caem menos: 1%. O estresse se dá por conta da fala do presidente Jair Bolsonaro, em sua tradicional live às quintas-feiras. O presidente disse, nesta última, que Roberto Castello Branco, o presidente da Petrobras, poderia sofrer consequências por afirmar que a petroleira não tinha nenhuma relação com os caminhoneiros e que se tiver que aumentar preço, aumenta.

A Petrobras, caso o governo teime em dizer que não, já não repassa completamente as altas do mercado internacional para as distribuidoras. Até o aumento concedido nesta quinta, a defasagem estava próxima de 15%. Além disso, a própria estatal assumiu que tem até um ano para equiparar os preços internos aos internacionais, retrocedendo a política de paridade estabelecida durante o governo Temer.

Com informações do Radar Econômico/VEJA