O deputado federal Rafael Motta, do PSB, se pronunciou nesta quarta-feira (22), pelo Twitter, sobre a polêmica a respeito da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que a coligação pode ter apenas um candidato ao Governo e um candidato ao Senado. Ignorando a possibilidade de desistir da candidatura caso não seja o escolhido de Fátima Bezerra (PT), Rafael Motta afirmou que segue como pré-candidato.

A decisão que tumultuou o grupo de Fátima foi tomada pelo TSE nesta terça-feira (21). Por 4 votos a 3, a Corte analisou uma consulta feita pelo deputado federal Delegado Waldir (União Brasil).  Ele perguntou se partidos que formam uma coligação para disputar o posto de governador são obrigados a lançar um único candidato ao Senado. O relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, abriu a possibilidade de candidaturas diversas ao Senado por integrantes de uma mesma coligação. O magistrado, no entanto, não obteve a maioria.

No Rio Grande do Norte, o entendimento vai impor uma escolha à governadora Fátima, já que o PSB e o PDT possuem pré-candidatos ao Senado. São eles: o deputado federal Rafael Motta e o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, respectivamente.

O PT já deliberou pelo apoio a Carlos Eduardo, em encontro tático realizado este mês. O que muda, agora, é que a manutenção desse apoio significa retirar o PSB da coligação para o Governo, contrariando a aliança nacional formada entre petistas e socialistas, nas figuras do ex-presidente Lula e do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin.

Com informações do Portal 96 FM