Campeã mundial em 2019, Beatriz Ferreira, a Bia, não conseguiu repetir o feito nas Olimpíadas de 2020. Assim, vai voltar ao Brasil com a medalha de prata, após perder a final do peso leve (até 60kg), neste domingo, em Tóquio, para a irlandesa Kellie Harrington. 

A vitória de Harrington foi unânime, na avaliação dos jurados. Dois deram o triunfo por 30 a 27 para a lutadora irlandesa, enquanto três apontaram o placar por 29 a 28, o que determinou a medalha de prata para a brasileira. 

Bia Ferreira, que entrou no ringue ao som de “A Favela Chegou”, fez um primeiro round equilibrado com Harrington, o mais estudado dos três da final olímpica. Ela ganhou o primeiro round para três juízes, enquanto dois deram o triunfo para a irlandesa. A sensação foi que, de fato, a brasileira foi mais contundente. 

No segundo round, Bia Ferreira teve mais iniciativa no início e dominava o centro do ringue, mas a irlandesa acertou mais golpes no fim, o que acabou levando os juízes a darem a vitória para a europeia.

O terceiro round foi muito equilibrado, com ambas sendo mais agressivas, com a brasileira não conseguindo se impor como seria necessário para conquistar o ouro. E, ao fim, o título olímpico ficou com Harrington, que, na avaliação dos cinco juízes, também foi melhor nos três minutos finais de combate.

"Desculpa, pai! Desculpa, Brasil!", disse a lutadora, ainda no ringue, frustrada com o seu revés.  A derrota de Bia Ferreira encerra a boa participação do boxe brasileiro em Tóquio, sendo, ao lado do skate, o esporte que mais deu medalhas ao Brasil: três. Foram, ainda, um ouro, com Hebert Souza, e um bronze, com Abner Teixeira, além da sua prata. 

Fonte: CNN Brasil