O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (2) que o governo estudará como zerar definitivamente a cobrança do PIS/Cofins que incide sobre o diesel. A declaração foi dada a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

“Esses 2 meses é o prazo para a gente estudar como a gente mantém, como a gente vai conseguir, de forma definitiva, o zero de impostos federais em cima do óleo diesel”, disse. De acordo com Bolsonaro, a medida desta segunda (1º) foi tomada “no limite”. Ele declarou que. ao zerar os tributos, precisou “arranjar recursos no outro lugar, pela Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Bolsonaro resolveu aumentar o imposto cobrado sobre os bancos (CSLL), limitar a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (PI) de carros para pessoas com deficiência, e acabar com renúncias tributárias para o setor petroquímico para zerar os impostos federais incidentes diesel e o gás de cozinha.

A medida foi uma maneira encontrada para tentar mitigar os sucessivos reajustes realizados pela Petrobras sobre o combustível.

Além da redução dos impostos, o governo editou uma medida provisória com ações para compensar a perda de receitas.

Bolsonaro voltou a afirmar que, a partir do dia 25 março, os postos de combustíveis serão obrigados a instalar placas com o detalhamento dos preços. “Para a gente começar a apurar os verdadeiros responsáveis pelo preço alto do combustível. Isso não é interferência. Isso é transparência, coisa que não tínhamos”.

Fonte: Poder360