Como faz todos os dias, Jair Bolsonaro levantou suspeitas sobre o processo eleitoral brasileiro nesta quinta-feira (22). O presidente defendeu a implementação do voto impresso e afirmou que “não vai admitir” que a contagem de votos seja secreta.

O Estadão noticiou hoje que o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, condicionou a validade das eleições de 2022 à mudança no sistema de apuração.

Em entrevista à Rádio Banda B, de Curitiba, Bolsonaro defendeu a contagem pública dos votos.

Não posso admitir que meia dúzia de pessoas tenham a chave criptográfica de tudo e, de forma secreta, contem votos numa sala secreta lá no Tribunal Superior Eleitoral. Isso não é admissível. A própria Constituição fala em contagem pública dos votos, quero transparência.