O esporte preferido do brasileiro, há muito tempo, é reclamar do Brasil e não poderia ser diferente na vacinação. Assim, mais de 102 milhões de pessoas vacinadas viram motivo de desdém, apesar de equivalerem a 48,7% da população, mais que os EUA quando flexibilizaram medidas de isolamento e tornaram facultativo o uso de máscara. Em aceleração, o Brasil deve ultrapassar em duas semanas os EUA que vacinaram 56,5%. A diferença de desempenho dos dois países é de 8 pontos percentuais. A notícia é do jornalista Claudio Humberto, no Diário do Poder.

Enquanto os EUA vacinaram apenas 2,3% da população em julho (de 54,2% a 56,5%), Brasil deu um salto de 13,1% (de 35,6% a 48,7%).

Segundo o Our World in Data, os EUA aplicaram cerca de 580 mil doses por dia na última semana, enquanto a média no Brasil é de 1,45 milhão.

Apesar dos negacionistas da vacinação, o Brasil fez despencar a média de mortes para 1.070, a menor desde fevereiro.

Ministério da Saúde já disponibilizou 171,3 milhões de vacinas, suficiente para aplicar ao menos uma dose em toda a população adulta do país.

Fonte: Diário do Poder/Claudio Humberto