Grande parte das mulheres já teve ou terá um episódio de candidíase na vida. A doença é uma das maiores reclamações de pacientes nos consultórios ginecológicos – afetando 75% das brasileiras, de acordo com a Associação de Obstetrícia e Ginecologista do Estado de São Paulo (Sogesp) – principalmente por causa da coceira e da secreção branca ou amarelada que provoca.

A candidíase ainda gera muitas dúvidas, principalmente sobre os motivos para seu aparecimento. “Apesar de não ser considerada uma doença sexualmente transmissível, pode se manifestar logo após uma relação sexual”, explica a ginecologista, Dra. Renata Zito (CRM 78.391). Segundo ela, a infecção é muito comum em mulheres, mas também pode acometer homens, especialmente nos genitais.

Estima-se que a candidíase vaginal é uma infecção que acomete entre 3 e 4 mulheres a partir do primeiro ciclo menstrual. Causada pelo fungo Candida albicans, que se aloja comumente na área genital, provocando coceira, secreção e inflamação, pode ser causada por diversos fatores locais, como umidade e calor excessivo,  e sistêmicos,  como alimentação inadequada, sono desregulado, alto índice de estresse, imunidade baixa, alterações hormonais e uso prolongado de alguns medicamentos.

Com a mudança brusca da rotina na vida e no trabalho das pessoas, ausência de sociabilidade e outros, é comum o desenvolvimento de infecções fúngicas, como a candidíase, uma vez que o estresse gerado pelas novas condições é capaz de diminuir a resposta do sistema imune para defender o organismo.

Também ficar com roupa molhada, biquini, por exemplo, estimula a proliferação do fungo e o aparecimento da infecção na flora vaginal. Roupas apertadas também provocam a umidade e calor da região e levam à candidíase, por isso, opte por tecidos mais leves e que permitam a respiração local, como o algodão.

 

Algumas dicas da Dra. Renata Zito para você fugir da candidíase:

  • Lavar e secar bem a região íntima antes de dormir;
  • Utilizar roupa pouco apertada e de algodão;
  • Dar preferência para a ingestão de probióticos e lactobacillus, como iogurte;
  • Dormir sem calcinha;
  • Fazer a higiene íntima com gel vaginal com PH entre 3,8 e 4,5, evitando todos os produtos e sabonetes com químicos.

 

O TRATAMENTO

A marca Lomecan, do Grupo mexicano Genomma Lab., traz uma solução simples e eficiente. Basta aplicar o creme vaginal à base de Clotrimazol, que inibe o crescimento e a multiplicação de fungos e, a partir do terceiro e último dia de tratamento, já é possível sentir a melhora dos sintomas.

Lomecan é encontrado nas principais redes de farmácias e drogarias do Brasil, em bisnaga de 20g e acompanha três aplicadores íntimos.

 

Informações do produto e sobre a doença podem ser adquiridas no link https://lomecan.com/br/#

 

Sobre Genomma Lab.

A Genomma Lab Internacional é uma multinacional de capital aberto, com operação na bolsa de valores do México e que está presente em 19 países com o propósito de empoderar as pessoas a terem excelente saúde e bem-estar. No Brasil há mais de 10 anos, a companhia detém 16 marcas nos segmentos de Personal Care (cuidados pessoais) com as marcas: Cicatricure, Asepxia, Tio Nacho e Teatrical e OTC (medicamentos isentos de prescrição) com as marcas: Proctan, Lakesia, Lomecan, Liris e Next.