Miguel Neto, 26, teve a ideia de criar o aplicativo quero Delivery, em 2017, depois de ter dificuldade de pedir hambúrguer em Tobias Barreto (SE), cidade em que morava, porque o dono do trailer de lanche nunca atendia as ligações. Hoje, o quero Delivery está presente em 180 cidades de 14 estados. Em 2020, o faturamento foi de R$ 13 milhões. O lucro não foi divulgado.

Segundo Neto, existiam outras lanchonetes na cidade, mas ele gostava mesmo era do lanche daquele trailer de rua. Mas o dono do trailer tinha dificuldades para atender as ligações devido ao alto fluxo de pessoas ligando, diz ele.

"Minha ideia era criar um app que pudesse atender localmente, mas também cidades do interior de vários estados que costumam ser mal atendidas ou ter um serviço de entregas bem limitado", declarou ele, que trabalhava com informática desde os 16 anos.

Para criar o app, Neto chamou o amigo Danilo Souza, 26, programador, para ser seu sócio. O investimento inicial foi de R$ 10 mil, aporte feito por um investidor-anjo.

A empresa tem sede em Lagarto (SE), cidade com 106 mil habitantes (o dobro da população de Tobias Barreto) e com o comércio maior, o que pesou na decisão de abrir o negócio ali. Neto continua morando em Tobias Barreto.

Fonte: Uol