O valor do auxílio-alimentação ao qual um servidor da Câmara Federal tem direito é de R$ 982,29. Este valor é acrescido ao contracheque do servidor e pago mensalmente junto com os rendimentos mensais. No caso de um parlamentar federal, a forma de utilização é diferente. Os valores são utilizados e ressarcidos após aprovação do setor financeiro da Casa Legislativa. 

A média mensal de despesas com alimentação do deputado federal General Girão, durante o ano corrente, tem sido inferior ao valor pago por mês a um funcionário para o mesmo fim. Se feita a média dos últimos sete meses, o valor mensal seria de R$ 759,81. No entanto, se verificado mês a mês, tendo como base um comparativo com o auxílio recebido por assessores, o parlamentar excedeu o valor apenas nos meses de junho e agosto, números facilmente compensados com o saldo dos demais meses.

O deputado federal ressalta o direito legal do empregado, seja ele de qualquer esfera, à alimentação. “O direito ao Auxílio Alimentação é de todos os brasileiros empregados. Infelizmente vivemos num país extremamente desigual, mas querer criminalizar ou desmoralizar as ações de um servidor que tem garantido o direito de refeição é, no mínimo, muito baixo. Tenho muito orgulho dos meus vencimentos e da forma como desempenhei e desempenho para fazer jus e honrá-los. Portanto, não aceito nenhum tipo de manipulação de informações a fim de me penalizar pelos meus vencimentos, que decorrem de mais de 40 anos de vida pública, e de muito trabalho em prol do Rio Grande do Norte e do Brasil. Não aceito que tratem como mordomia o resultado logrado pelo meu trabalho”, pontua General Girão.

O parlamentar acrescenta que a busca pela transparência, também defendida por ele, é justa em todas as atividades. “Fico feliz pela atuação do “jornalismo” brasileiro na fiscalização dos gastos públicos, em que pese a sua seletividade. Talvez alguns setores da imprensa não tenham compromisso com a verdade e, sim, na criação de um fato político, já que sou conhecido como legítima oposição ao Governo do Rio Grande do Norte, notório financiador de alguns veículos. Reitero os agradecimentos a alguns membros da imprensa pelo controle, ainda que seletivo, dos gastos públicos e pugno e peço que estendam essa minuciosa lupa nas contas de todos os atores político do Rio Grande do Norte, inclusive àqueles que se utilizam de verba pública a fim de financiar publicidade. Ciente da publicidade dos meus gastos, ressalto que não tenho o que esconder de ninguém, de modo que não pretendo perguntar a ninguém o que eu devo ou não comer”, conclui o parlamentar.

Conforme dado já explicitado acima, qualquer funcionário da Câmara Federal recebe, a título de vale alimentação, o valor de R$ 982,29. Os gastos do General Girão com alimentação no corrente ano totalizam em média de aproximadamente R$ 760, a saber: 

Jan/2021: R$ 167,17 
Fev/2021: R$ 653,15 
Mar/2021: R$ 475,38 
Abr/2021: R$ 629,68 
Maio/2021: R$ 832,77 
Jun/2021: R$ 1.250,12 
Jul/2021: R$ 879,46 
Ago/2021: R$ 1.190,82

“Alguns setores da imprensa costumam se ater a despesas de um ou outro parlamentar, mais a uns do que a outros, inclusive. Mas quero ressaltar que a despesa com alimentação é amparada legalmente pela Câmara dos Deputados. Enquanto um assessor parlamentar recebe R$ 982 de auxílio alimentação, eu costumo utilizar valores menores que este, por exemplo. O mês de agosto fugiu a regra habitual e utilizei R$ 213 a mais que um assessor, o que dividindo pela quantidade de dias em um mês dá apenas cerca de $ 7 a mais por dia”, explica o deputado.