É unânime que praticar atividades físicas regularmente contribui para a saúde física e emocional, sendo importante até para otimizar as defesas do organismo diante de doenças respiratórias, como a Covid-19 . Mas, será que a prática durante a infecção pode trazer riscos à saude?

Segundo Augusto Uchida, cardiologista do Grupo Pardini, é recomendável suspender temporariamente as atividades físicas durante o período de contágio, mesmo que não haja sintomas severos da doença.

"Nos casos leves, a suspensão do exercício deve ocorrer por 2 semanas e a retomada do exercício deve ocorrer de forma gradual, após avaliação médica", diz o cardiologista.

"Já nos casos assintomáticos, a suspensão do exercício deve ocorrer por pelo menos uma semana", complementa Uchida.

Embora raros, explica o médico, existem casos onde a Covid-19 acomete o coração predispondo a arritmias. "Principalmente se for em nível competitivo, é necessário consultar um médico antes de retornar às atividades", alerta.

No caso de pacientes que precisam fazer um programa de reabilitação após infecção grave pelo Sars-CoV-2, é necessário iniciar exercícios de baixa intensidade e monitorar continuamente a oxigenação e a fadiga.

Semelhantemente, pessoas que ainda apresentam manifestações acarretadas pela Covid-longa, como falta de ar, tosse ou fadiga, devem fazer atividade física leve, avaliando sempre a ocorrência de sintomas junto a um profissional de saúde.

Fonte: IG