As exportações do Rio Grande do Norte cresceram, em 2021, 50,9%, em relação ao ano anterior. A informação está no “Balanço do Comércio Exterior do RN”, com os dados e análise do desempenho do Estado no mercado externo, disponibilizado pelo Centro Internacional de Negócio (CIN) e Mais RN Digital, que integram o Sistema FIERN.

A plataforma com as informações sobre o comércio exterior é publicada mensalmente e, nesta edição mais recente, apresenta um balanço dos doze meses de 2021. Os dados apontam o crescimento das vendas externas. “Embora o fuel oil/óleo diesel tenha sido o produto que mais impactou nesse resultado, pelo seu considerável valor absoluto, muitos dos produtos tradicionais da pauta também apresentaram crescimento importante”, observa o responsável técnico pelo Centro Internacional de Negócios, Luiz Henrique Moreira Guedes. Excluídos os valores do “fuel oil”, as exportações cresceram 17,9%.

Melões, melancias, tecidos de algodão, peixes e lagostas foram os demais produtos com maiores valores exportados, todos apresentando crescimento, com destaque para tecidos de algodão (+89,7%) peixes (+126%) e lagostas (+215%) que tiveram aumento significativo em comparação com 2020.

Os valores exportados de peixes e lagostas vão além de uma simples recuperação do período mais crítico da pandemia em 2020, sendo os maiores registrados desde 2004, último ano pesquisado pelo CIN/FIERN, quando os camarões eram o principal produto da pauta.

Os tecidos de algodão retornam aos valores exportados em 2018. Como melões e melancias tem um regime de exportações baseado em safras, que vão de agosto a março, aproximadamente, faremos uma melhor avaliação em abril para que sejam melhor representados.