Aprovada à unanimidade no âmbito do Poder Legislativo, o Projeto de Lei proposto pelo deputado estadual Galeno Torquato (PSD), que institui a realização do exame que detecta a trombofilia a toda mulher em idade fértil, agora é lei. O Governo do Estado sancionou a Lei nº 11.053, que já está em vigor desde o último dia 11 de janeiro de 2022.

Segundo o deputado Galeno Torquato, a partir de agora, as unidades integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS) realizarão exames para a detecção trombofilia, além de ações de prevenção, detecção e controle da trombofilia. "O objetivo é evitar o abortamento precoce, é importante para sociedade. Uma paciente com abortos repetitivos precisa dessa atenção", reforçou o parlamentar, que é médico (ginecologista/obstetra).

A trombofilia é uma condição caracterizada pela predisposição ao desenvolvimento da trombose que, por sua vez, é definida pela formação de coágulos de sangue ou trombos. Na prática, esse problema pode levar ao entupimento de veias e artérias. O quadro pode ser hereditário ou adquirido. 

Na gravidez, a trombofilia representa sério risco de abortos repetitivos e riscos acentuados de problemas no desenvolvimento do bebê e até mesmo, de morte materna durante e no pós-parto.