Um garçom de 17 anos foi espancado com socos, chutes e até cadeirada por dois homens que se recusaram a pagar a conta do almoço de três crianças em um restaurante em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Leonardo Bezerra foi levado a um hospital da cidade e recebeu alta nesta quarta-feira (28). O caso é investigado pela Polícia Civil, e os agressores ainda não foram identificados.

Ao G1, a mãe do jovem, Rosely Aparecida, contou que ele foi espancado após ser flagrado pela dupla anotando a placa do veículo em que eles estavam, a pedido da dona do restaurante, para evitar que eles voltassem a ser atendidos no local futuramente.

As câmeras de segurança do estabelecimento não registraram a agressão, mas mostraram os homens discutindo com funcionários antes e, depois de o garçom ser agredido, um dos homens indo atrás dele em tom de ameaça.

Os suspeitos chegaram ao restaurante acompanhados de uma mulher e três crianças, na terça-feira (27). Juntos, os seis almoçaram sob o preço único de R$ 14,99 para cada. Na hora do pagamento, no caixa, os homens entraram em atrito com os funcionários, se negando a pagar pela refeição consumida pelas crianças.

"Eles disseram que elas eram pequenas e que não tinham comido muito, então, não iam pagar esse valor", relata a mãe do garçom. Eles pagaram pelas refeições dos adultos e saíram do restaurante, em direção ao veículo da família, para irem embora.

Nesse momento, a dona do restaurante pediu para que Leonardo fosse até o estacionamento, que fica em frente ao estabelecimento, para anotar a placa do veículo deles. "Para não correr o risco de eles voltarem, pois agiram de má fé", explicou Rosely.

A dupla percebeu que Leonardo estava anotando a placa e correu até ele, iniciando as agressões. "Eles viram, correram e pegaram uma cadeira. Deram nas costas dele, e ele caiu. Nisso, os agressores subiram em cima do menino e começaram a espancar ele", conta a mãe. Apenas Leonardo foi alvo das agressões físicas.

As câmeras do restaurante não gravaram as agressões. No entanto, imagens captadas mostram o momento em que outro garçom, colega de trabalho de Leonardo, o retira do meio do espancamento e o leva para dentro do restaurante para ser socorrido.

"Estou indignada. Foi uma covardia, agrediu por que? Se fosse um cara grandão, eu duvido que tinham feito isso com ele. Ele está assustado, não consegue dormir direito e só chora", desabafa a mãe.

Com informações do G1