O corpo que foi encontrado boiando na praia de Sagi, no litoral Sul do Rio Grande do Norte, no dia 31 de maio, não é de um dos três pescadores que estão desaparecidos desde que uma embarcação naufragou em Alagoas no dia 18 de maio com quatro homens - um deles foi resgatado com vida no dia seguinte.

A informação foi confirmada nesta terça-feira (7) à Inter TV Cabugi e ao g1 pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep).

O Itep explicou que realizou o exame comparativo de impressões digitais, através de documentos e prontuários que foram enviados pelas famílias dos desaparecidos e pelas autoridades alagoanas. Não houve compatibilidade em nenhum dos casos.

De acordo com órgão, o fato de o exame realizado ter sido o de impressões digitais já supunha que não se tratava de um dos alagoanos pelo tempo que eles estavam desaparecidos. O corpo encontrado em Sagi estava em um estágio menos avançado de decomposição, o que permitiu o exame das digitais.

O corpo, portanto, segue sem identificação no Itep. Segundo o instituto, caso ele não seja identificado por alguma familiar ou documento no prazo de 30 dias, o procedimento é realizar uma coleta de DNA e em seguida enterrar como não identificado.

Com informações do G1 RN