Um centro de inteligência e planejamento estratégico da economia potiguar. Essa é, atualmente, uma das principais características que se consolidaram no MAIS RN, na síntese feita pelo o gerente do programa, Pedro Albuquerque. Foram, em 2021, planos que contribuíram para a retomada das atividades produtivas, parcerias para garantir publicações atualizadas e úteis, atuação junto a setores da indústria e parcerias com instituições de pesquisa, empresas e entidades públicas.

“Tudo isso tem gerado a capacidade de atuação na realidade, junto aos empresários e sindicatos, bem como através de contribuições para políticas públicas municipais e estaduais”, afirma Pedro Albuquerque.

O MAIS RN teve três ênfases ao longo de 2021: A elaboração de planos e documentos, os acordos e parcerias firmados e as salas de situação desenvolvidas. Os principais planos foram o de “vacinação da indústria potiguar, que resultou no programa Ação pela Vida; o de Retomada Gradual da Economia RN, adotada nos aspectos mais importantes pelo governo do Estado quando liberou o reinício das atividades; e a Agenda Propositiva para o Desenvolvimento, entregue pelo presidente da FIERN, Amaro Sales à governadora Fátima Bezerra como sugestões para orientar projetos estruturantes ao Rio Grande do Norte.

Os acordos de cooperação técnica foram firmados com o Ministério do Desenvolvimento Regional, UFRN, Banco do Nordeste, Secretaria de Tributação do Estado, IDEMA, JUCERN, UERN e UNP. Por intermédio destes convênios, é possível o acesso a bancos de dados e estudos comuns nas áreas de interesse comum das instituições e entidades que integram as parcerias.

O MAIS RN também atuou em três Salas de Situação: Na do setor da Pesca, foi elaborada uma agenda positiva para o segmento e criado um acompanhamento de indicadores; Na do setor de Aquicultura, foram levantados indicadores e desenvolvido um painel de ‘Dashboard’; Na do Porto de Natal, foi firmada uma parceria entre a FIERN, a FECOMÉRCIO, a FETRONOR, e a FAERN para solucionar ou minimizar entraves de funcionamento do terminal e do entorno.

Com o Observatório da Indústria, o MAIS RN disponibilizou uma central de dados e consulta digital com informações econômicas e sociais do Rio Grande do Norte. “O MaisRN 4.0 está voltado para operacionalização do observatório da indústria. Trata-se de um hub de dados e informações socioeconômicas desenvolvido e operado sob plataforma de Business Intelligence”, diz Pedro Albuquerque.

Neste Observatório da Indústria, estão o Atlas da Indústria, os indicadores de Mercado e Economia, as informações da Pesca, da Carcinicultura, do setor de Petróleo e gás, o Mapa das Energias Renováveis, os dados de Exportação, o Observatório do Comércio Exterior, a Evolução Fiscal, o Relatório Focus, a Base Sindical da Indústria do RN, o Acompanhamento do Emprego Potiguar, além dos Observatórios Regionais (Porto do Mangue, Mossoró, Região Central e Seridó Ocidental).

“Em sua versão mais recente o MAIS RN alcançou um patamar elevado de publicações, além da manutenção do Observatório da Indústria com um acervo de dados e dashboards, há também as publicações de cadernos econômicos e relatórios temáticos. Tudo isso tem gerado a capacidade de atuação na realidade, junto aos empresários e sindicatos, bem como através de contribuições para políticas públicas municipais e estaduais”, destaca Pedro Albuquerque.

Para 2022, o planejamento das principais linhas de ação inclui o acompanhamento das sugestões feitas na Agenda Propositiva, um novo Plano de Trabalho com as instituições parcerias, a renovação do portal MAIS RN, o desenvolvimento de serviços MAIS RN – IEL, a contratação de trainee de Economia e a expansão do Observatório da Indústria.

“As perspectivas para 2022 são ainda maiores e esperamos atuar diretamente no levantamento de agendas voltadas para os candidatos ao governo do RN. Temos um histórico de contribuição ao debate em anos eleitorais e esse ano esperamos atuar ainda mais firme nessa dimensão”, diz Pedro Albuquerque sobre as perspectivas para este ano.