O potencial da indústria potiguar, a construção de uma Biblioteca SESITEC em Currais Novos e o recebimento do título de cidadão honorário do município de Currais Novos foram alguns dos temas abordados pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte, Amaro Sales de Araújo, em entrevista à Rádio Curraisnovense, na última sexta-feira (6). A conversa aconteceu no programa Nossa Voz, do radialista e vereador Daniel Bezerra.

Sales anunciou que as obras da nova biblioteca em Currais Novos começam na próxima quarta-feira, dia 11. “O projeto das Indústrias do Conhecimento modernizou-se e as bibliotecas tornaram-se SESITEC. Trazemos para Currais Novos esse belo e moderno equipamento de educação, que até o final do ano a unidade deverá ser inaugurada para trazer ainda mais cultura e educação para o município”, afirmou.

Ainda no tema da educação, o presidente da FIERN destacou a atuação das SESI Escolas no estado. “O Sistema FIERN tem trabalhado pela educação do RN. Hoje temos duas SESI Escolas modernas no estado, uma em Mossoró e outra em São Gonçalo do Amarante, que inclusive é referência nacional em educação e tecnologia”, ressaltou. “Temos em torno de 500 alunos em cada uma das unidades, mas vamos ampliar a SESI Escola Mossoró para termos mil alunos naquela unidade”, apontou Sales.

“O objetivo não é criar concorrência com escolas particulares, mas trazer desenvolvimento à educação do estado”, continuou o presidente da FIERN. “Temos que unir forças. A FIERN não tem apenas o papel de representação institucional da indústria, mas tem que trabalhar o relacionamento com o poder público e com a população”, completou.

Perguntado sobre o cenário da indústria no Brasil, Amaro Sales afirmou que o país enfrenta um processo de desindustrialização. “Isso é muito ruim. Estamos tirando empregos do país para mandar para o exterior. A agroindústria tem crescido, mas outros setores têm encolhido. Quando o país não dá incentivo à indústria nacional, isso nos preocupa”, afirmou.

“Na indústria estão os melhores salários, a melhor qualificação e tecnologia. Mas ela tem perdido números no Brasil. Temos brigado, por meio da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), para mudar esses números. A Indústria precisa de mais incentivo”, completou Sales, que também é 1º diretor secretário da CNI. “Por exemplo, quando temos uma indústria localizada em um município como Currais Novos, ela tem a capacidade de empregabilidade e de irradiação da economia”, explicou.

A conversa também abordou a situação da indústria no Rio Grande do Norte, que atualmente gera mais de 100 mil empregos e representa cerca de 18% do PIB estadual, colocando o RN no 4º lugar do ranking do PIB Industrial no Nordeste. “Esperamos que esses números ainda melhorem”, expressou o presidente da FIERN, que fez um comparativo com décadas passadas, quando o setor era mais pungente no estado.

“Na década de 80, o RN tinha sua economia baseada no Petróleo e Gás, com mais de 120 mil barris produzidos por dia, mas atualmente fazemos esforço para produzir cerca de 25 mil. Esse setor representou, por um bom tempo, mais de 70% do PIB do estado”, lembrou Sales. “Hoje, quatro companhias adquiriram as áreas da Petrobras para retomar a empregabilidade no setor e o desenvolvimento no estado, então temos a esperança que o setor volte a ter uma importante representação na economia potiguar”, completou.

Por fim, o presidente da FIERN destacou o protagonismo do Rio Grande do Norte na produção de energias renováveis, como maior produtor de energia eólica e solar do Brasil. “Hoje o país não está em racionamento graças à produção de energia produzida no Nordeste, que mais produz do que consume. O RN tem quase uma usina de Taipu, com a produção de 6 GW nas usinas eólicas. Com a produção offshore, em que as usinas são instaladas no mar, teremos 30 vezes mais o que produzimos hoje”, ressaltou.

“Nesse quesito, o Rio Grande do Norte é diferenciado. Além de 37 municípios produzindo energia eólica, temos no Sistema FIERN o maior centro de energias renováveis do país, o Instituto de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), onde são trabalhadas a tecnologia e a inovação em produção de energia limpa”, concluiu Sales.

O anfitrião do programa, o radialista Daniel Bezerra, ressaltou a importância do novo instrumento na cidade, a Biblioteca SESITEC, antiga Indústria do Conhecimento. “Isso mostra o reconhecimento a Currais Novos por parte do presidente Amaro Sales, que colocou a cidade entre as que receberão esse equipamento. Vai trazer para a região um aparelho muito moderno e bonito que vai ajudar a transformar a localidade”, disse o parlamentar. “Eu fui aluno do SESI. Minha primeira escola foi do SESI e eu sei o quanto era importante para as crianças do meu bairro”, relatou.