A corte russa responsável pelo julgamento da atleta Brittney Griner declarou nesta quinta-feira (4) que a estrela de basquete da WNBA cometeu crimes de porte de drogas e contrabando. Ela terá que cumprir pena de nove de anos de prisão.

Brittney foi detida em fevereiro ao desembarcar em Moscou portando cartuchos de vape com óleo de cannabis. A atleta de 31 anos é considerada uma das melhores jogadoras de basquete do mundo.

Anteriormente, a Procuradoria da Rússia pediu uma pena de nove anos e meio de prisão para a estrela americana do basquete Brittney Griner. Esta é quase a maior pena possível para o crime, que pode chegar a 10 anos de prisão.

EUA chegou a propor 'troca de prisioneiros'

Com o conflito na Ucrânia, o julgamento de Griner ganhou uma dimensão geopolítica com negociações entre Moscou e Washington sobre uma possível troca de prisioneiros, que poderia beneficiar a atleta.

Na semana passada, o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, informou que Washington fez uma "oferta consequente" a Moscou para obter a libertação de Griner e de outro americano detido na Rússia, Paul Whelan.

Para garantir a liberação da atleta, os Estados Unidos se propuseram a liberar um russo condenado por tráfico de armas, que cumpre uma pena de 25 anos no país.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que a detenção da jogadora é injusta:

"É inaceitável, e eu peço que a Rússia a liberte imediatamente, para que ela possa ficar com sua esposa, seus entes queridos, amigos e suas companheiras de equipe", disse Biden em um comunicado.

Com informações do G1