Prestes a completar cinco anos, a Lava Jato, investigação que desnudou um esquema de corrupção na Petrobras e em outros entes públicos pelo país se prepara para criar um inédito e bilionário fundo anticorrupção, a ser investido em projetos de educação, cidadania e transparência. Uma espécie de fundo privado, que não passaria pelas mãos dos políticos, como seria de costume.

O senador Jean-Paul Prates (PT) demonstrou indignação com a medida, já que são recursos públicos que serão utilizados de forma independente do poder público. "Que esculhambação é essa!? Chega de passividade quanto a esses abusos escamoteados de boas ações! Fazer valer o Estado de Direito para todos", disse o senador por meio de suas redes sociais.