Se você é daqueles que não se importa em compartilhar a toalha de banho com um amigo ou usa as que são oferecidas na área da piscina de hotéis e pousadas, está na hora de repensar seus hábitos.

O biomédico Roberto Martins Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, alerta que o utensílio é individual e o uso compartilhado pode resultar em infecções provocadas por vírus e bactérias. “Cada um deve usar a sua toalha. Há risco desde infecções sexualmente transmissíveis até doenças respiratórias”, afirma.

Entre os problemas que podem ser adquiridos compartilhando o item de higiene estão:

  • Doenças causadas por piolhos pubianos;
  • Infecção causada pelo vírus HPV;
  • Escabiose, mais conhecida como sarna.

Cuidados com a toalha de banho

O maior problema quando se trata do uso de uma toalha de banho é a umidade. Dessa forma, para evitar ficar exposto a bactérias depois de um dia de praia ou piscina, você deve abrir a toalha para secar ou colocar direto para lavar. O biomédico orienta que, nesses casos, não é bom repetir o uso do utensílio e, caso o faça, que seja no máximo por dois dias consecutivos.

No ambiente doméstico, o Dr. Bactéria aconselha trocar as toalhas de banho de dois em dois dias. Para evitar que elas fiquem úmidas por muito tempo, é bom deixá-las sempre abertas. Outra dica é estendê-las no sol ou diante de um equipamento que emita calor, para acelerar a secagem.

Doenças respiratórias

O descuido no armazenamento de toalhas de banho também pode causar doenças respiratórias. Isso se relaciona diretamente com a exposição do utensílio à poeira, que contém uma grande quantidade de ácaros.

Além disso, a umidade em excesso ao dobrar a toalha pode proporcionar o surgimento de bolores, mais conhecidos como mofos. Esses problemas estão relacionados às seguintes doenças:

  • Micoses pulmonares;
  • Aspergilose, doença pulmonar causada por fungo;
  • Rinite;
  • Asma.

Cuidados com piscina pública

Antes de frequentar uma piscina pública, o Dr. Bactéria pede que as pessoas façam exames prévios para saberem se têm as seguintes doenças:

  • Doenças de pele;
  • Candidíase;
  • Micoses de pele;
  • Conjuntivite e outras infecções.

De acordo com ele, nesses casos, o indivíduo não deve se preocupar somente com a sua saúde, mas também com o bem estar de todos que frequentam o local. Isso porque essas doenças são transmissíveis e podem ser passadas pela água.

Com informações de Palavra PB