As chuvas que têm caído em Natal e Região Metropolitana preocupam vários moradores e motoristas há dias. Neste mês de junho, as precipitações se intensificaram e, segundo as previsões da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado (Emparn), deve continuar chovendo porque há condições favoráveis para isso.

A Av. Ayrton Senna, na Zona Sul de Natal, tem trechos que atrapalham o trânsito. “É tão simples de resolver”, pontuou Nivia Alexandrina. “Prefiro passar por Cajupiranga para evitar esse alagamento”, continuou, dizendo que enfrenta o problema há 10 anos. À reportagem, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) informou que a Ayrton Senna deve passar por serviços na rede de drenagem até a próxima semana.

Já na Zona Norte, no bairro Pajuçara, a rua Tenente Souza apresenta problemas históricos. A moradora Maria das Vitórias não aguenta mais a situação: “chovendo ou não, continua a mesma coisa. É sapo, rato. Um vizinho perdeu todos os móveis. É um caso sério, queremos providências. Pagamos IPTU para viver dentro da lama”, disse.

A gestão municipal informou que precisa de recursos na ordem dos R$ 20 milhões oriundos do Governo Federal para realizar obras no setor. A parceria entre Governo Federal e Prefeitura do Natal, no entanto, ainda não foi formalizada.

Ainda na Zona Norte, a Avenida Moema Tinoco possui o mesmo problema de alagamento. Neste caso, a responsabilidade é do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-RN).

Assim como a Avenida Olavo Montenegro, em Parnamirim. Neste caso, o DER-RN informou que os problemas de drenagem identificados na estão sendo registrados em razão da ocorrência das fortes chuvas. “A solução demanda a realização de obras e serviços de engenharia de relativa complexidade e custos financeiros significativos. Para sua efetiva solução, informamos que o DER-RN elaborou o necessário projeto de engenharia, estando, nesse momento, atualizando o orçamento estimativo correspondente, para o que será necessário o aporte dos recursos financeiros que se fizerem necessários”, diz a nota oficial.

Com informações do Agora RN