As Lojas Americanas perderam R$ 923 milhões em vendas por causa do ataque hacker sofrido em fevereiro deste ano. A cifra consta no relatório de resultados do 1º trimestre de 2022, divulgado pela empresa na sexta-feira (13). 

Em 19 de fevereiro, a empresa foi alvo de ataque que fez com que os serviços on-line ficassem instáveis. O problema persistiu no dia seguinte. “Nossos ambientes de e-commerce precisaram ficar fora do ar para garantir a segurança de nossos clientes, fornecedores e parceiros”, disse a Americanas.

“No dia 23/02, começamos a restabelecer gradualmente nossos ambientes de e-commerce, sempre observando os devidos protocolos de segurança, e, no dia 24/02, retornamos com todos os nossos canais de atendimento e ampliamos horários e benefícios para os clientes”, continuou a empresa. “Não há evidências de outros danos, além do fato de termos ficado com nossas operações de e-commerce suspensas.”

A empresa divulgou que, nos 3 primeiros meses de 2022, a base ativa de clientes foi de 52 milhões, um crescimento de 8%. O número de itens vendidos e de transações apresentaram alta de 20% e 17%, respectivamente.

Apesar de o ataque hacker, a plataforma de e-commerce cresceu 20% em volume de vendas no 1º trimestre. “Desconsiderando os efeitos do período de indisponibilidade do e-commerce, estimamos que o crescimento teria sido de 30%”, lê-se no relatório.

O LAPSUS$ assumiu a autoria do ataque. É o mesmo grupo hacker que afirmou ter invadido o sistema do Ministério da Saúde em dezembro de 2021. Na ocasião, o site do Ministério os portais Covid e ConecteSUS, que fornecem dados sobre a pandemia e a vacinação contra a covid-19, ficaram fora do ar.

Com informações do Poder 360