O governo deve encaminhar ao Congresso Nacional uma proposta para que o novo auxílio emergencial tenha 4 parcelas de R$ 250 por mês, pago para até 40 milhões de pessoas. Pela proposta, a ideia é que os pagamentos aconteçam de março a junho de 2021. A equipe econômica espera gastar R$ 40 bilhões com o benefício este ano, R$ 10 bilhões por mês.

O pagamento do auxílio emergencial precisa ser proposto pelo governo ao Congresso, onde deve ser analisado se será aprovado.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende o valor de R$ 200, mas não deve se opor a subir para R$ 250. O auxílio deve ser pago a todos os beneficiários do Bolsa-Família e a um grupo de trabalhadores informais.

Fonte: UOL Economia