A ajuda aos Estados em crise financeira será financiada por bancos privados estrangeiros. Instituições públicas, como BNDES, Banco do Brasil e Caixa, ficarão de fora desta vez. A justificativa está na lei. Instituições públicas são proibidas, por lei, a conceder empréstimos para pagamento de despesas correntes dos Estados, como salários de servidores e fornecedores.

Segundo reportagem publicada nesta quarta-feira (06), Citibank, JPMorgan, BofA, BNP Paribas e Santander já sinalizaram interesse em emprestar aos Estados, desde que tenham a União como fiadora.

A estimativa do Tesouro Nacional é garantir R$ 10 bilhões em empréstimos aos Estados neste ano, exigindo medidas de ajuste fiscal como compensação. Os governadores, porém, consideram a cifra oferecida inferior à sua necessidade.