Em entrevista exclusiva concedida ao portal O Antagonista, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) é questionado sobre as investigações em torno do atentado que sofreu ainda durante as eleições de 2018, e compara o responsável pelo ataque, Adélio Bispo, ao ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, do PT, que acabou assassinado em condições misteriosas em 2002. As dúvidas persistem até hoje.

O Antagonista – Surgiu a informação de que o sr poderia ir ao hospital psiquiátrico visitá-lo. É verdade?

Bolsonaro – Primeiro que não acredito que ele seja maluco. Se fosse maluco já teria feito besteira antes por aí. Pelo menos, ninguém conhece a vida pregressa dele. Então, essa possibilidade (de encontrá-lo) passou pela minha cabeça. Conversei com as pessoas mais próximas, mas até o momento fui desaconselhado. Então, estou esperando amadurecer um pouquinho mais. Não iria para visitá-lo. Seria precedido de um contato, se ele tiver interesse, sim. Mas gostaria de conversar com ele, sim, mas jamais perdoá-lo. Pode ter certeza disso. Ele está condenado a viver eternamente no manicômio judicial. Lógico que o laudo dado pode ser revisto. Uma vez revertido, ele pode ter o benefício de uma possível delação premiada. Cada vez mais a vida dele está em risco. No meu entender, ele tem tudo para ser um Celso Daniel.