O cineasta Alan Parker, conhecido por obras como "O Expresso da Meia-Noite" (1978), "Fama" (1980) e "Evita" (1996), morreu hoje aos 76 anos. A notícia foi confirmada pelo Instituto Britânico de Cinema ao THR, citando que Parker sofria há anos de uma doença não especificada.

Apesar das obras ecléticas, Parker ficou conhecido como um "especialista" em musicais. Além de "Fama" e "Evita" (estrelado por Madonna), também assinou "The Wall" (1982), filme feito para acompanhar o disco clássico do Pink Floyd.

Foi por dois dramas inspirados em fatos, no entanto, que Parker conseguiu suas indicações ao Oscar: a primeira por "O Expresso da Meia-Noite" (1978), sobre um jovem americano preso por tráfico de drogas na Turquia; e a segunda por "Mississippi em Chamas" (1988), sobre agentes do FBI investigando o desaparecimento de ativistas do movimento de direitos civis dos negros.

Embora tenha perdido ambas as chances de levar o careca dourado, Parker venceu quatro BAFTAs, o equivalente britânico do Oscar. Em 2013, ganhou também um prêmio honorário na cerimônia.

Outros filmes marcantes de sua carreira foram "Quando as Metralhadoras Cospem" (1976), que imaginava histórias de gângster estreladas por crianças, incluindo uma jovem Jodie Foster; "Coração Satânico" (1987), que deu início à épica treta entre Mickey Rourke e Robert De Niro; "The Commitments" (1991) e "A Vida de David Gale" (2003), que acabou sendo seu último filme.

Em 2015, Parker anunciou sua aposentadoria dos cinemas, alegando que estava cansado de lutar contra os estúdios para conseguir fazer seus filmes como gostaria.

Com informações de UOL