Uma droga nunca antes registrada na literatura científica foi apreendida durante uma verificação de rotina nos Correios de Pinhais (PR). Depois de identificar um pacote suspeito pelo scanner, vindo da Holanda, funcionários acionaram cães de faro que confirmaram a presença de uma substância desconhecida em um pacote de cerca de 1,2 kg, que continha a matéria sólida compactada, de tom amarelado.

Após análise nos laboratórios da Universidade Federal do Paraná (UFPR), laudos apontaram que o embrulho guardava uma espécie de canabinoide sintético, de um tipo nunca antes descrito na literatura científica.

A universidade tem um projeto em parceria com a Receita Federal em que usa ressonância magnética nuclear (RMN), de alta e baixa resolução, para análises de materiais suspeitos apreendidos no Centro de Distribuição dos Correios.

Em nota divulgada pela RFB não há informações sobre a identificação do remetente e do destinatário do pacote ou sobre investigações a respeito da droga. O órgão destaca apenas que espera combater o tráfico internacional por meio da parceria com a UFPR.

UOL