A Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizou, nesta quinta-feira (30), a reunião mensal de Diretoria, em Brasília, que acontece dentro da programação do Encontro Nacional da Indústria (ENAI). Na ocasião, o diretor primeiro-secretário da Confederação, Amaro Sales, falou sobre o sucesso do evento Conhecendo a Indústria, realizado na semana passada na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), em Natal, e agradeceu o apoio da CNI na realização.

“Reunimos em Natal representantes de associações, do Congresso Nacional, de cinco ministérios. Nossa surpresa ao conversar individualmente com os participantes foi ver o encantamento deles com o trabalho realizado pelo Sistema”, relatou Amaro, lembrando que o evento falou sobre os potenciais e desafios da geração de hidrogênio verde. “Hoje temos pessoas no Ministério da Economia, por exemplo, que sabem conceituar o que faz e o que está sendo feito para o futuro pelo Sistema Indústria”, disse.

O presidente da FIERN informou que a comitiva também visitou o Instituto SENAI de Energias Renováveis em Natal (ISI-ER) e parques eólicos no litoral do RN. “Os participantes do Conhecendo à Indústria conheceram o potencial do Rio Grande do Norte na geração de energia. Só na sua plataforma marítima, o RN tem a possibilidade de produzir 120 gigawatts de energia offshore. O consumo do país hoje é de 180 gigawatts”, disse Amaro Sales.

“Temos um Brasil diferente, um Brasil de energias. Vamos ter a possibilidade de fornecer energia ao mundo, na forma de hidrogênio verde, trazendo tantas divisas que ainda não temos como fazer essa conta”, ressaltou o presidente da FIERN, perante os presidentes das federações da indústria de todo o país.

Já o presidente da CNI, Robson Braga, ressaltou o sucesso do evento Diálogo da Indústria com os pré-candidatos à Presidência da República, que reuniu mais de 1.800 empresários de todo o país, e contou com os pré-candidatos Simone Tebet, Ciro Gomes e com o presidente Jair Bolsonaro.

“Agradeço o esforço de vocês em trazerem empresários dos seus estados. O evento foi uma importante demonstração da importância da CNI, mostrou o peso e importância da indústria para o país, e as propostas que a indústria tem para o Brasil”, ressaltou Robson Braga.

O diretor primeiro-tesoureiro da FIERN, Roberto Serquiz, também participou da reunião da diretoria da CNI, na manhã desta quarta.

Aprendizagem profissional

O diretor-geral do SENAI, Rafael Luchesi, fez uma exposição sobre a importância da Medida Provisória n° 1.116, editada em maio pelo Governo Federal, no trecho que trata da aprendizagem profissional. A medida será analisada pelo Congresso Nacional.

“Participamos de um grupo de trabalho e entendemos que essa medida provisória é um grande avanço. Os resultados da agenda de aprendizagem no Brasil ainda são muito ruins, e a lei atual é de 1942. A medida provisória vem dentro da estratégia do Governo Federal, com incentivo à contratação de jovens por meio da aprendizagem profissional com instituição de um projeto nacional de incentivo à aprendizagem”, destacou Luchesi.

Segundo ele, a MP representa novas oportunidades de jovens preparados para o futuro do trabalho e da indústria. Além disso, amplia o acesso de adolescentes e jovens ao mercado de trabalho por meio da apresentação aprendizagem profissional e oferta incentivos para a regularização da contratação de aprendizes.

“No texto dessa medida provisória, o contrato de aprendizagem é vinculado à frequência escolar. Alinha a aprendizagem profissional ao novo ensino médio, com o tempo máximo de contrato indo de dois para três ou até quatro anos. Incentiva a empresa a contratar jovens em situação de vulnerabilidade e aproxima a aprendizagem profissional no Brasil ao conceito defendido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Incentiva o jovem aprendiz a continuar os estudos após o término da educação Básica”, expôs o diretor do SENAI.