A rede de escolas Salesiano, que tem duas unidades em Natal, está sendo acusada de homofobia após enviar para os pais e responsáveis pelos alunos um comunicado sobre os possíveis riscos da exposição dos jovens à série sul-coreana “Round 6”, que se tornou a mais vista da história da Netflix. Depois da repercussão negativa, a escola pediu desculpas.

No comunicado às famílias, a escola afirma que a série tem conteúdos “completamente inapropriados para crianças” e inclui a “homossexualidade” entre os temas complexos abordados pela produção. O Salesiano compara a orientação sexual, que aparece de forma tangencial na série, a temas como suicídio, tráfico de órgãos, tortura psicológica e morte.

O Salesiano enfatiza que, apesar de a série possuir classificação indicativa (sendo não recomendada para menores de 16 anos), crianças têm fácil acesso à Netflix. O colégio recomenda aos pais que ativem a ferramenta de restrição de visualização por classificação etária, para que os jovens tenham acesso apenas a conteúdos apropriados para a idade deles.

A rede de escolas destaca que a série tem “pesadas cenas que chocam os espectadores com episódios de extrema violência”, o que contrasta, segundo o Salesiano, com a necessidade de os jovens conviverem “em ambientes de respeito, fraternidade, dignidade e paz”. O colégio manifesta preocupação com o fato de que, na série, os jogos envolvidos são justamente infantis.

“Outra orientação de cuidado é que as crianças e os adolescentes (que) quiserem assistir, que sejam acompanhados dos pais e/ou responsáveis, e que se promovam diálogos educativos, em vista da formação da consciência moral e social”, conclui o texto.

Escola pede desculpas

Em nota após a repercussão negativa, a escola pediu desculpas. Ao PORTAL DA 98 FM, a direção se retratou e afirmou que a ideia da nota partiu da sede da escola em Brasília. Confira a nota:

Nota de retratação – Foto: Reprodução

Confira a matéria completa da 98FM clicando neste link.