Nesta quarta-feira completaram-se dois anos do assassinato de Rafael Miguel e dos pais dele. A ex-namorada do ator de "Chiquititas", Isabela Tibcherani, 20 anos, diz que feridas continuam abertas já que seu pai, Paulo Cupertino, acusado do assassinato, permanece foragido da Justiça, e as buscas por ele continuam.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou ao UOL, em nota, que o paradeiro de Cupertino "segue em investigação pelo Departamento de Homicídios (DHPP) e pela Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências (Cerco)".

No fim de 2020, a Polícia Civil de São Paulo foi à cidade de Liberación, no Paraguai, seguindo uma pista de que Cupertino estaria em uma fazenda na região. Ele não foi localizado e, agora, as buscas permanecem a cargo da Polícia Civil e da Polícia Federal. Ele integra a lista de mais procurados do Brasil.

Isabela disse ao UOL que a data da morte a faz sentir como se a morte de Rafael "tivesse sido ontem".

"Foi a última vez que nos vimos, que fomos felizes, de fato, e esse dia me marca muito. As lembranças se tornam muito vivas nessas datas. Hoje, eu encaro como posso, com um olhar mais maduro e decidido, mas não deixa de doer", disse.

Ela afirma que, ainda hoje, sofre ataques nas redes sociais, de pessoas que a culpam pela morte do ex-namorado.

"Tenho de ler coisas do tipo, 'enquanto você está aí vivendo, o Rafael e os pais dele estão mortos, por culpa sua', 'como você consegue ficar aí postando foto nas redes sociais depois de tudo que seu pai fez?', 'você provavelmente sabia e ainda deve ter ajudado'. Isso é muito triste", conta.

Isabela é assessorada por uma equipe jurídica para acionar caso se sinta ameaçada, mas que até o momento não tomou medidas legais contra "haters".

Com informações de UOL