A farmacêutica União Química e o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) anunciaram, nesta quarta-feira (13), que enviarão à a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda nesta semana o pedido de uso emergencial da vacina russa Sputnik V contra o novo coronavíus 

Para obter a autorização, é pré-requisito estar em fase 3 de testes no país. A solicitação para estudos em humanos no Brasil foi feito à Anvisa no dia 29 de dezembro e ainda não foi aprovado. De acordo com a empresa, o imunizante foi aprovado para uso emergencial em outros países, incluindo "Argentina, Bolívia, Argélia, Sérvia e Palestina".

O RDIF e a União Química ainda anunciaram acordo para o envio de 10 milhões de doses da vacina ao Brasil até o mês de março, com previsão da primeira entrega em janeiro.

No último domingo (8), a farmacêutica divulgou que iniciaria a produção de doses da vacina no país "ainda em janeiro", pela Fábrica Bthek, em Brasília. A empresa prevê fornecer até 8 milhões de doses ao mês.

Fonte: G1