Um fazendeiro de 55 anos foi preso por suspeita de mandar matar um "amigo" corretor de imóveis, para evitar pagar R$ 8 milhões em comissão após a venda de uma propriedade — no valor de R$ 300 milhões. A defesa dele nega a acusação.

Segundo a Polícia Civil, o caso foi registrado na cidade de Rio Verde (GO) e quatro pessoas foram presas por suspeita de envolvimento na morte de Wellington Freitas, 67: Renato Souza, dono da propriedade, apontado como o possível mandante do crime; Rogério Oliveira, suspeito de executar o assassinato, e Rogério Teles e Caio Rodrigues, que teriam intermediado a ação.

De acordo com o delegado titular de Rio Verde, Adelson Candeo, a polícia foi procurada pela família da vítima, no dia 20 de junho, após o corretor ter desaparecido na região.

Após diligências, o carro da vítima foi encontrado às margens da GO-333, perto do limite municipal entre Rio Verde e Jataí, próximo a uma propriedade que fora comprada recentemente por Wellington. Pouco depois, o corpo do corretor foi encontrado pelo filho.

"O filho estava passando por onde o rastreador do carro da vítima indicou que ele tinha passado. O corpo foi encontrado carbonizado em um desses locais", explicou o delegado em entrevista ao UOL.

Fonte: Uol