Um homem, de 22 anos, foi preso por suspeita de extorsão e ameaças de morte ao ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) em uma operação conjunta entre as polícias Civil da Paraíba e de Pernambuco e do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O investigado foi preso na cidade de Santa Cruz do Capibaribe (PE), região Agreste, no último dia 16, mas a prisão foi mantida em sigilo até hoje para não atrapalhar as investigações.

Segundo a polícia, nas ameaças, o homem exigia o pagamento de R$ 3 milhões para não assassinar o ex-governador. O suposto homicídio ocorreria no último dia 16 e a identidade do preso não foi revelada.

A prisão do investigado ocorreu em cumprimento a mandado expedido pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Ele está custodiado no presídio de Santa Cruz do Capibaribe. O UOL tentou localizar a defesa do homem, mas não conseguiu.

Durante a prisão, segundo a Polícia Civil da Paraíba, foram encontrados ainda mensagens no celular do preso com ameaças feitas contra o atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ex-candidato a Presidência da República João Amoêdo (Novo). O aparelho foi apreendido para passar por perícia.

O ex-governador da Paraíba ainda não se pronunciou sobre o caso. Coutinho procurou o delegado-geral da Polícia Civil da Paraíba, Isaías Gualberto, no último dia 11 e as investigações foram iniciadas até chegar ao homem apontado como autor das mensagens.

Segundo a polícia, o homem enviou mensagens por uma rede social informando que teria sido contratado por uma organização criminosa, de atuação nacional, para assassinar o ex-governador da Paraíba pelo valor de R$ 2 milhões, mas interromperia a ordem caso Coutinho pagasse R$ 3 milhões.

A polícia informou que em uma das mensagens enviadas a Coutinho, o investigado revelava dados pessoais da vítima para demonstrar que conhecia a rotina do político.

Com informações de UOL