O Ranking de Competitividade dos Estados elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP) aponta que a gestão pública no Rio Grande do Norte ficou mais ineficiente, caindo de 11° lugar em 2019 para a 21° em 2020. O estudo mostra ainda que Estado é o "campeão" de gastos brutos, com 83% da receita corrente líquida.

O desempenho de cada estado é medido por índices como oferta de serviços digitais e de transparência. As informações foram publicadas pelo jornal Estadão.

De acordo com o CLP, o quesito de eficiência da máquina pública trouxe mudanças na sua composição como a inclusão de três novos indicadores: qualidade da informação contábil e fiscal, produtividade dos magistrados e servidores do judiciário e oferta dos serviços públicos digitais. Junto a eles estão o custo dos três poderes em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), a eficiência do Judiciário e o índice de transparência.

Outros pilares considerados no levantamento são segurança pública, sustentabilidade social, infraestrutura, educação, capital humano, inovação, potencial de mercado e sustentabilidade ambiental.