Israel declara Lula como 'persona non grata' após comparação com nazismo

19 de Fevereiro 2024 - 09h07
Créditos: Reprodução


O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, informou nesta segunda-feira (19) que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é considerado 'persona non grata' até que haja uma retratação sobre as declarações feitas pelo chefe brasileiro, que comparou as ações de defesa israelense no conflito contra o grupo terrorista Hamas ao nazismo.

"Não perdoaremos e não esqueceremos - em meu nome e em nome dos cidadãos de Israel. Informei ao presidente Lula que ele é uma personalidade indesejável em Israel até que ele peça desculpas e se retrate de suas palavras", disse o ministro israelense em uma postagem nesta segunda-feira (19) nas redes sociais.

"A comparação do presidente brasileiro Lula entre a guerra justa de Israel contra o Hamas e as ações de Hitler e dos nazistas, que exterminaram 6 milhões de judeus, é um grave ataque antissemita que profana a memória daqueles que morreram no Holocausto", concluiu 

A declaração de Lula foi dada durante entrevista coletiva realizada no último domingo (18), depois da participação do presidente na 37ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo da União Africana, em Adis Abeba, capital da Etiópia. “O que está acontecendo na Faixa de Gaza, com o povo palestino, não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu. Quando Hitler decidiu matar os judeus”, afirmou o petista.

Com informações de R7

Notícias relacionadas

Últimas notícias