O ministro das Comunicações do Governo Jair Bolsonaro, o potiguar Fábio Faria, desmentiu o governador do Estado de São Paulo, João Dória, que disse, por meio das redes sociais, que o Governo Federal não participou da importação de insumos da China para a fabricação da CoronaVac no Brasil. Segundo Dória, todo o processo de negociação com a China foi realizado pelo Instituto Butantan e pelo Governo de São Paulo.

Em resposta, Fábio Faria publicou uma carta do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, citando uma conversa realizada entre ele e o governo, no dia 21 de janeiro, e informando que a exportação ao Brasil do novo lote de 5.400 litros dos insumos da CoronaVac foi liberada pelos órgãos competentes da China. A previsão é que os Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFA) cheguem ao Brasil nos próximos dias.

Por sua vez, Doria afirmou que a negociação entre São Paulo e China “é contínua e nunca foi interrompida, mesmo quando o Governo Federal, através do presidente da República, anunciou publicamente em mais de uma ocasião, que não iria adquirir a vacina por causa de sua origem chinesa”.

“Os frequentes ataques à China dificultaram todo o processo. Se não fosse o esforço de São Paulo e a excelente relação de respeito que mantemos com a China, o principal parceiro comercial do Brasil, não teríamos iniciado ainda a vacinação dos brasileiros”, ressaltou o governador de São Paulo.