Morreu ontem o ator de teatro e cinema André Ceccato, aos 60 anos, que interpretou o personagem Barba no filme "Carandiru", dirigido por Hector Babenco em 2003.

A morte foi confirmado por Sergio Guizé, que trabalhou com Ceccato em espetáculos. O ator morreu em casa, na cidade de São Paulo.

Nas redes sociais, Guizé lembrou de alguns momentos ao lado de Ceccato e uma conversa em meio à pandemia de coronavírus, que impediu a realização de peças e trabalhos artísticos.

Ontem o meu amigo André Ceccato morreu, fiquei sabendo que foi de tristeza. Estamos sem teatro há um tempão, isso tem um peso, ainda mais para pessoas especiais como ele, o conheci em 2005 na praça Roosevelt, já veio dando em cima da garota que estava comigo na época, na minha frente. Gande Ceccato, antes, já era fã do trabalho e continuo, de uma essência artística rara e inspiradora. Falei isso pra ele no último ensaio da série "O mal secreto" que iríamos fazer juntos.

Segundo Guizé, Ceccato previa um retorno das atividades com a melhora da situação brasileiro em meio à pandemia. O ator falava da necessidade da arte quando tudo voltasse a reabrir com segurança.

Ele estava felizão com os novos projetos e falava: 'Guizé, quando essa pandemia passar vai cair trabalho no nosso colo que nem saco de batata, as pessoas vão precisar ainda mais de arte depois disso tudo'. Parabéns, você deve estar muito bem, alegre como sempre, mas essa sua força toda vai fazer falta fisicamente, engraçado que só.

Além do trabalho no longa "Carandiru", Ceccato refez o personagem em 2005 na série exibida pela Rede Globo. O ator ainda fez participações em "Força-Tarefa" e "A Cura".

Com informações de UOL