A esposa de Lázaro Barbosa, suspeito de matar 4 pessoas no Distrito Federal foragido há 12 dias, contou em entrevista ao "Domingo Espetacular" que foi agredida por policiais que queriam saber o paradeiro dele.

"O policial deu três, quatro tapas no meu rosto. Ele quebrou o rodo da minha tia e ia me bater com o cabo. Eu pensei comigo: Senhor, eu não acho justo eu apanhar com esse cabo de vassoura. O Senhor sabe que eu não sei onde ele está."

Ela também afirmou que um policial ameaçou afogá-la se ela não desse informações sobre a localização de Lázaro. E completou: "Isso é um abuso, eles não podem bater na gente assim".

A esposa do fugitivo não foi a única a denunciar abusos de autoridade por parte da polícia: líderes religiosos de espaços tradicionais de matriz africana em Goiás também relataram ações violentas de policiais durante as buscas.

Procurada pelo "Domingo Espetacular", a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás afirmou que a polícia age de acordo com protocolos, e que as denúncias serão apuradas.

Com informações de UOL