O delegado Gladyson de Souza Ferreira afirmou hoje que acredita, de acordo com as primeiras investigações, que o crime que culminou na morte do padre Adriano da Silva Bastos, 36, em Manhumirim (MG), foi premeditado para pagar dívida de drogas do irmão do suspeito detido.

O rapaz de 22 anos que foi preso na quarta-feira (14) teria dito em seu depoimento que tinha uma relação amorosa com o padre e tentou extorqui-lo para que ele não divulgasse o relacionamento. No entanto, a polícia não acreditou nesta versão e voltou a interrogá-lo ontem.

"Na verdade, o fato foi premeditado. No sábado (10), houve uma reunião entre o suspeito preso, o irmão dele e mais uma pessoa, para tramar, ao que tudo indica, esse crime de latrocínio", disse o delegado titular da área de segurança de Manhumirim, que assumiu o caso ontem. 

Ainda segundo Ferreira, a motivação seria uma possível dívida de drogas do irmão do suspeito com traficantes. Ele é do Rio de Janeiro e, durante uma abordagem da Polícia Militar daquele estado, teria tido entorpecentes apreendidos.

Fonte: Uol