O presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, convidou o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, para visitar o Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), que foi inaugurado em junho deste ano, em Natal. O convite foi feito nesta terça-feira (31), durante reunião de diretoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília.

Diretor 1º secretário da CNI, Amaro Sales disse ao ministro que, ao vir ao Rio Grande do Norte visitar o Instituto Senai de Energias Renováveis, ele poderia conhecer também o andamento das atividades do “Mesa REATE”. Trata-se do Comitê Executivo que tem a atribuição de promover as discussões estaduais do programa de Revitalização das Atividades de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural em Áreas Terrestres (REATE).  Cabe à Mesa REATE estabelecer “um fórum de articulação regional para condução de temas estruturantes da cadeia de petróleo e gás natural, visando a solução dos desafios relacionados à indústria do setor e o de um ambiente para negócios da cadeia produtiva desse segmento”.

Durante a palestra na reunião da CNI, ao lado do presidente da Confederação, Robson Andrade, Bento Albuquerque destacou os desafios que estão diante do país provocados pela estiagem e a crise climática. Ao tratar da situação energética, ele disse que houve uma queda do volume de água armazenada nos reservatórios. Por isso, apesar das ações preventivas do Ministério das Minas e Energia, há necessidade de novas medidas, afirmou. O ministro apontou que houve um crescimento de 123% das linhas de transmissão, dos quais 8% no atual governo.

 

O Ministério das Minas e Energia, ressaltou Bento Albuquerque durante a palestra para os diretores da CNI, também implementou “diversas iniciativas” para otimizar o uso da água. “O objetivo atual é manter a governança do sistema”, disse. Entre as ações conjunturais estão a geração de termelétrica adicional, importação de energia, campanha para uso correto de água, aumento da oferte da energia. Outras medidas serão implementadas, como a bonificação dos consumidores regulados que reduzirem em pelo menos 10% o consumo, no período de setembro a dezembro 2021. Haverá também ações estruturais, como o leilão de reserva de capacidade para contratação de geração termelétrica com previsão de entrada em 2026 e expansão da oferta de geração e transmissão já contratada.

Internacional

A reunião da CNI desta terça-feira também foi marcada pela palestra do Ministro de Relações Exteriores do Chile, chanceler Andrés Allamand, que abordou as relações econômicas entre os dois países. Ele destacou a importância das micro, pequenas e médias empresas e afirmou que esses setores precisam de incentivo e apoio do Poder Público.

Segundo Andrés Allamand, o Chile tem 29 tratados de livre comércio em diversos país, entre os quais os Estados Unidos. Os chilenos, acrescentou, pretendem nos próximos cinco anos avançar no mercado do “hidrogênio verde”. Ele disse que a intenção do Governo do Chile é compartilhar dados e informações do trabalho do hidrogênio verde com o Brasil, em especial com o Sistema Indústria brasileiro.