O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal (Procon Natal) caiu em campo nos meses de maio e junho com o intuito de pesquisar o preço da cesta básica comercializada no município. No mês de junho, o Instituto encontrou o preço médio da cesta básica em Natal por R$ 353,34. Entre os meses de maio e junho, a variação da cesta básica foi de 1,97%, uma vez que no mês passado o preço médio da cesta básica foi de R$ 346,37. Isto representa um aumento em reais de R$ 6,97. 

Na mesma pesquisa, o Procon também identificou que no mês de junho a cesta básica nos atacarejos teve melhores preços, em média, em relação aos hipermercados e mercadinhos. Nos atacarejos, o custo da cesta básica foi de R$ 337,89. Já nos mercadinhos, o preço médio da cesta foi de R$ 347,78, e nos hipermercados o preço médio foi de R$ 374,84. A média nos preços foi encontrada pelos pesquisadores nas cinco semanas do mês.

Ainda em junho, o poder de compra do trabalhador com o salário-mínimo para suprir as necessidades alimentares básicas de uma família de 4 (quatro) pessoas durante um mês, teve um custo de 36,75%, em relação à cesta básica. Isso representa 74,39 horas de trabalho no mês. A análise é feita pelo Núcleo de Pesquisa do Procon, levando em conta a cesta básica dos natalenses em 40 (quarenta) itens divididos nas categorias de mercearia, açougue, hortifrúti, higiene e limpeza.

Comportamento dos preços

O Núcleo de Pesquisa fez, ainda, a comparação do custo em reais da cesta básica, assim como a diferença e a variação entre os nichos de comércio de venda da cesta. Sendo assim, a cesta básica dos atacarejos foi a mais barata entre os pesquisados. Em relação ao Mercadinho, a variação foi de (-2,93%) e uma diferença em reais de R$ 9,87. Em relação aos hipermercados, houve uma variação negativa de (-10,79), e isso representa uma economia de R$ 36,45. Ou seja, a cesta básica nos atacarejos é a melhor opção para os natalenses.

Na categoria de mercearia, a variação de um mês para o outro nos atacarejos foi negativa de (-2,72%), e três produtos tiveram redução. São eles: o arroz tipo 2, feijão carioca e o sal refinado, com variação de (-0,13%), (-0,34%) e (-12,70%), respectivamente. Mais duas categorias tiveram redução na cesta básica dos atacarejos, a saber higiene/limpeza com (-3,45%), com dois produtos em destaque: sabonete comum de 90 g e detergente líquido de 500ml.  A outra categoria foi a de hortifrúti com (-19,19%). Essa categoria teve dez dos treze produtos que compõem a categoria com redução. 

No mês de maio, a cesta básica, em média, nos atacarejos, foi encontrada pelos pesquisadores no valor de R$ 340,68, e em junho a média foi de R$ 334,49. Isto representa uma variação de (-0,83%) e uma economia em reais de R$ 3,19. A categoria de açougue nos atacarejos teve um único produto com variação negativa em relação ao mês anterior. Na caixa de ovos médios, com 30 unidades, a variação negativa foi de (-1,69%). No entanto, a categoria não acompanhou as demais, e sua variação foi positiva de (2,96%).

Em junho, os atacarejos tiveram a menor média da cesta básica pesquisada, ao apresentar o valor de R$ 337,89. No mês de maio, o preço médio foi de R$ 340,68, uma variação negativa de (-0,83%). Já nos hipermercados, em média, nas cinco semanas de junho, a pesquisa encontrou um preço médio de R$ 374,34, e em maio seu preço médio pesquisado foi R$ 361,82. Representa uma variação de 3,34%. Nos mercadinhos, em junho, o preço médio foi de R$ 347,78, e em maio o preço encontrado foi de R$ 336,61, representando uma variação de 3,21%.